Google+ Followers

Igreja Evangélica Congregacional de Vila Mury

terça-feira, 11 de outubro de 2016

escola no deserto



Deus treina seus líderes mais importantes na escola do deserto. Moisés, Elias e Paulo foram treinados por Deus no deserto. O próprio Jesus antes de iniciar o seu ministério passou quarenta dias no deserto. O deserto não é um acidente de percurso, mas uma agenda de Deus, a escola de Deus. É o próprio Deus quem nos matricula na escola do deserto.
O deserto é a escola superior do Espírito Santo, onde Deus trabalha em nós antes de trabalhar através de nós. Deus nos leva para essa escola não para nos exaltar, mas para nos humilhar.
Essa é a escola do quebrantamento, onde todos os holofotes da fama se apagam e passamos a depender total e exclusivamente da graça de Deus e da provisão de Deus e não dos nossos próprios recursos.


Destacaremos, aqui, três verdades importantes:

1. Na escola do deserto aprendemos que Deus está mais interessado em quem somos do que naquilo que fazemos
Deus nos leva para o deserto para falar-nos ao coração.
No deserto ele nos humilha não para nos destruir, mas para nos restaurar.
No deserto, Deus trabalha em nós antes de trabalhar através de nós, provando que ele está mais interessado em nossa vida do que em nosso trabalho.
Vida com Deus precede trabalho para Deus. Motivação é mais importante do que realização. Nossa maior prioridade não é fazer a obra de Deus, mas ter intimidade com o Deus da obra. O Deus da obra é mais importante do que a obra de Deus.
Quando Jesus chamou os doze apóstolos, designou-os para estarem com ele; só então, os enviou a pregar.

2. Na escola do deserto aprendemos a depender mais do provedor do que da provisão
Quando o profeta Elias foi arrancado do palácio do rei e enviado para o deserto, ele deveria beber da fonte de Querite e ser alimentado pelos corvos.
Naquele esconderijo no deserto, o profeta deveria depender do provedor mais do que da provisão. Deus o sustentaria ou ele pereceria.
Deus nos leva para o deserto para nos mostrar que dependemos mais dos seus recursos do que dos nossos próprios recursos. É fácil depender da provisão quando nós a temos e a administramos. Mas na escola do deserto aprendemos que nosso sustento vem do provedor e não da provisão.
Quando nossa provisão acaba, Deus sabe onde estamos, para onde devemos ir e o que devemos fazer. A nossa fonte pode secar, mas o manancial de Deus jamais deixa de jorrar. Os nossos recursos podem escassear, mas os celeiros de Deus continuam abarrotados. Nessas horas precisamos aprender a depender do provedor mais do que da provisão.

3. Na escola do deserto aprendemos que o treinamento de Deus tem o propósito de nos capacitar para uma grande obra
Todas as pessoas que foram treinadas por Deus no deserto foram grandemente usadas por Deus. Quanto mais intenso é o treinamento, mais podemos ser instrumentalizados pelo Altíssimo.
Porque Moisés foi treinado por Deus quarenta anos no deserto, pôde libertar Israel da escravidão e guiar esse povo rumo à terra prometida.
Porque Elias foi graduado na escola do deserto pôde enfrentar, com galhardia, a fúria do ímpio rei Acabe e trazer de volta a nação apóstata para a presença de Deus.
Porque Paulo passou três anos no deserto da Arábia, ele foi preparado por Deus para ser o maior líder do Cristianismo.
Quando Deus nos leva para o deserto é para nos equipar e depois nos usar com graça e poder em sua obra.
Deus não desperdiça sofrimento na vida dos seus filhos. Ele os treina na escola do deserto e depois os usa com grande poder na sua obra.
Não precisamos ter medo do deserto, se aquele que nos leva para essa escola está no comando desse treinamento.



O programa do deserto é intenso. O curso é muito puxado. Mas, aqueles que se graduam nessa escola são instrumentalizados e grandemente usados por Deus!

Pr. Hernandes Dias Lopes

terça-feira, 27 de outubro de 2015

a máscara e a Biblia

A MASCARA E A BIBLIA


                    

Só a Bíblia tira a cegueira espiritual e nos faz conhecer a verdade

Perto de onde minha esposa e eu moramos tem uma fazenda com muitos cavalos. Em certas épocas do ano, alguns cavalos usam máscaras nos olhos e por muito tempo eu sentia pena pelos cavalos que não podiam ver...

Mas, então descobri que a ideia que eu tinha sobre aquelas máscaras era errada. As máscaras são feitas de tela e os cavalos conseguem ver através delas. Porém, as moscas que causam doenças nos olhos, não conseguem atravessá-las. Por isso entendi que as máscaras não impedem os cavalos de ver, elas os impedem de ficar cegos!

Frequentemente, as pessoas não-cristãs tiram conclusões sobre a Bíblia exatamente como eu pensava sobre aquelas máscaras. Elas vêem a Bíblia como algo que Deus coloca sobre nossos olhos para nos impedir de ver toda a diversão e prazeres que poderíamos ter. Elas sentem pena pelos cristãos porque pensam que Deus nos impede de desfrutar a vida. Quanto engano! O que eu não sabia sobre a máscara dos cavalos, elas também não sabem sobre a Bíblia...

A Bíblia não nos impede de ver tudo que é bom, ela nos impede de sermos infectados por mentiras que causam cegueira espiritual. Ela não nos impede de desfrutar a vida e sim nos mostra que podemos apreciar o verdadeiro prazer! Ela não nos impede de conhecer a verdade, ela nos impede de acreditar em mentiras.

"Senhor, desvia os meus olhos, para que não vejam a vaidade, e vivifica-me no Teu caminho". (Salmos 119:37)
blog dc Vitorino Eliseu

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Arrependei-vos

“Então dirão às montanhas: ‘Caiam sobre nós!’ e às colinas:
‘Cubram-nos!’”
                                                                                          Lucas 23:30






Enquanto algumas poucas pessoas lamentaram o que Jesus estava
passando, Jesus lamentou o que a cidade inteira de Jerusalém estava
prestes a sofrer em poucos anos. A mesma força do mal que levou
Jesus à cruz estava prestes a cair sobre um povo que havia
rejeitado o Filho de Deus. A mesma verdade vale para nós hoje, mas,
numa escala eterna. Quando chegar o dia do juízo, não haverá lugar
para se esconder, nem como fugir das conseqüências do nosso pecado.
O tempo de se cobrir com a graça de Deus chegou. A hora de se
arrepender é agora.



hermeneutica

segunda-feira, 27 de julho de 2015

qual a sua posição?

“Aquele que não está comigo é contra mim, e aquele que comigo não ajunta, espalha.”                                  Lucas 11:23
Hoje em dia, exclusivismo não é bem visto. Não é "politicamente correto". No entanto, o Cristianismo que Jesus ensinou é um movimento exclusivista. Ou você está dentro ou fora, luta a favor ou contra. E, não é só aqueles que lutam contra Jesus que prejudicam o progresso do Evangelho. É também os que não decidem, que esperam e deliberam enquanto os servos do Senhor travam a batalha. Alguns, ao observarem Jesus realizando obras poderosas, o criticaram. Outros acreditaram e começaram a seguir. Outros ainda aguardaram para ver o que mais Jesus faria. Porém, Jesus não nos chama somente para pensar e refletir. Ele nos chama a decidir e agir. Não há nenhum muro para sentar entre o reino das trevas e o Reino dos Céus. Está na hora de decidir e agir. Na verdade você já está num campo ou no outro. Sua presença e tudo que você faz ou não faz, já está tendo um impacto eterno. Sua vida está levando pessoas para onde?



hermeneutica

segunda-feira, 20 de julho de 2015

olhando pro alto



Se você colocar um falcão em um cercado de um metro quadrado, e inteiramente aberto por cima, o pássaro, apesar de sua habilidade para o vôo, será um prisioneiro. A razão é que um falcão sempre começa seu vôo com uma pequena corrida em terra. Sem espaço para correr, nem mesmo tentará voar e permanecerá um prisioneiro pelo resto da vida, nessa pequena cadeia sem teto.
O morcego, criatura notavelmente ágil no ar, não pode sair de um lugar nivelado. Se for colocado em um piso completamente plano, tudo que ele conseguirá fazer é procurando alguma ligeira elevação de onde possa se lançar.
Um zangão, se cair em um pote aberto, ficará lá até morrer ou ser removido. Ele não vê a saída no alto, por isso, persiste em tentar sair pelos lados, próximo ao fundo. Procurará uma maneira de sair onde não existe nenhuma, até que se destrua completamente, de tanto atirar-se contra o fundo do vidro.
Há pessoas como o falcão, o morcego e o zangão: atiram-se obstinadamente contra os obstáculos, sem perceber que a saída está logo acima. Se você está como um zangão, um morcego ou um falcão, cercado de problemas por todos os lados, olhe para cima!
Deus é a solução de TODOS os problemas.
Creia em Jesus e no poder redentor da Cruz.
O Senhor morreu para que você tenha vida abundante. Nunca duvide disso!
Olhe para o alto e busque a Deus.
Dobre seus joelhos e derrame seu coração aos pés da cruz. Deus nunca deixa de responder àqueles que vão até Ele.
"Clama a mim e responder-te-ei e anunciar-te-ei coisas grandes e ocultas que não sabes."Jeremias 33:3
                                         
                                      Olhai para mim e sereis salvo. Is45:22