Google+ Followers

Igreja Evangélica Congregacional de Vila Mury

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

graça de Deus


“Pois o Reino dos céus é como um proprietário que saiu de manhã
cedo para contratar trabalhadores para a sua vinha. Ele combinou
pagar-lhes um denário pelo dia e mandou-os para a sua vinha. “Por
volta das noves hora da manhã, ele saiu e viu outros que estavam
desocupados na praça, e lhes disse: ‘Vão também trabalhar na vinha,
e eu lhes pagarei o que for justo’. E eles foram. “Saindo outra
vez, por volta do meio-dia e das três horas da tarde, fez a mesma
coisa. Saindo por volta das cinco horas da tarde, encontrou ainda
outros que estavam desocupados e lhes perguntou: ‘Por que vocês
estiveram aqui desocupados o dia todo?’ ‘Porque ninguém nos
contratou’, responderam eles.“Ele lhes disse: ‘Vão vocês também
trabalhar na vinha’. “Ao cair da tarde, o dono da vinha disse a seu
administrador: ‘Chame os trabalhadores e pague-lhes o salário,
começando com os últimos contratados e terminando nos primeiros’.
“Vieram os trabalhadores contratados por volta das cinco horas da
tarde, e cada um recebeu um denário. Quando vieram os que tinham
sido contratados primeiro, esperavam receber mais. Mas cada um
deles também recebeu um denário. Quando o receberam, começaram a se
queixar do proprietário da vinha, dizendo-lhe: ‘Estes homens
contratados por último trabalharam apenas uma hora, e o senhor os
igualou a nós, que suportamos o peso do trabalho e o calor do dia’.
“Mas ele respondeu a um deles: ‘Amigo, não estou sendo injusto com
você. Você não concordou em trabalhar por um denário? Receba o que
é seu e vá. Eu quero dar ao que foi contratado por último o mesmo
que lhe dei. Não tenho o direito de fazer o que quero com o meu
dinheiro? Ou você está com inveja porque sou generoso?’ “Assim, os
últimos serão primeiros, e os primeiros serão últimos”.
-- Mateus 20:1-16

Reflexão:

do ponto de vista da lógica humana, a queixa dos primeiros
trabalhadores parece justa. Quanto mais se trabalha, mais se deve
ganhar. Isso pode ser justo quando buscamos receber o que
merecemos. Mas na economia do Reino, ninguém quer o que merece. Se
fôssemos receber o que merecemos estaríamos todos perdidos. O que
nós queremos é a graça. E a graça é sempre dada de acordo com
Aquele que a concede. Independente do tamanho do sacrifício, todos
nós somos igualmente devedores da graça de Deus. O pastor emérito e
a faxineira do prédio da igreja, o missionário que labora por
cinqüenta anos na seara e o aidético que se converte pouco antes de
sucumbir – cada um receberá a mesma medida da graça de Deus. A
atitude de cada um deve ser de gratidão pela imensa bondade de
Deus. Talvez os primeiros trabalhadores ficaram por último porque o
senhor deles já sabia da sua atitude - ressentimento ao invés de
gratidão. Tomara que a mesma coisa não aconteça conosco no porvir.
Não importa o tamanho do seu ministério ou da sua dívida em pecados
perdoados, o que Deus tem reservado para você é muito mais do que
você merece. Dê graças a Jesus pela graça de Deus.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

confiança em Deus

“Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nEle, e o mais Ele fará”
Salmos 37:5


Jó era o homem mais poderoso do oriente e sua vida aparentemente era uma vida de intimidade com Deus.
Porque ele buscava com todo o seu entendimento ao Senhor. Os estudiosos da bíblia afirmam que Jó foi escrito depois de Gênesis, ou seja, Jó não sabia certamente o que Deus tinha como plano para seu povo, pois sabemos que Deus designa os seus desejos e leis a Moisés.
Uma das principais características de Jó era a sua gratidão perante o Senhor Deus, ele tinha tudo, riquezas, bens sem fim, uma família aparentemente unida. Mesmo assim Jó não havia se esquecido de agradecer a Deus tudo o que ele tinha dado. Você tem feito isso? Agradece ao Senhor por tua família e bens?
Jó ele era tão temente a Deus que até o Senhor disse: “Ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, temente a Deus e que se desvia do mal”(Jó 1:8).
E com essa afirmação nos perguntamos: Será que Deus diria tudo isso de mim a seu inimigo? Será que tenho o temor que Jó tinha? Jó era poderoso, ele com o passar do tempo poderia ficar cego com seu dinheiro e poder aquisitivo, pelo contrario, não deixava a chama apagar, e com a sua fé no Senhor fazia sacrifícios.
Jó tinha tudo o que nós nos dias de hoje queremos a comunhão em sua casa, servos a seus dispor e todo o tipo de riqueza, e mesmo assim ele não abandonou o Senhor. Nós quando ganhamos uma casa na prais já “esquecemos” de agradecer, de ir à igreja e entre outras que nos afastam do Senhor. Esquecemos tudo o que passamos para alcançar o que temos hoje.
Jó mesmo depois de tudo o que passou sabia que Deus tinha um proposito para sua vida, portanto, mesmo que o mar não se abra tenha a certeza que Deus esta te observando o tempo todo, ele está atento a sua voz e Deus tem um proposito para todas as coisas quando confiamos nEle, pois a palavra fala em Colossenses 1:16 ”Todas as coisas foram criadas nele e nele encontram proposito”, ou seja, para estarmos nele temos que confiar em sua palavra, lê-la e vivenciá-la.
VOCÊ CONFIA EM DEUS?
É por isso que Deus Muitas vezes nos coloca num deserto e não entendemos o porquê daquilo. Mas saiba que o deserto é lugar de reencontro, do Senhor passar você de fase. Se observarmos, Jó passou por um deserto terrível, e o que ele fez? Confiou em Deus. Pode estar difícil, você pode estar no seu limite; mas não deixe de acreditar que Deus tem o melhor pra sua vida e pra história da sua família.
Você pode estar achando agora que Deus te abandonou, mas Deus está sempre no comando, o Diabo pode falar o contrario de tudo, mas não acredite nele não, ele só veio pra nos tentar tirar do caminho eterno.
texto estudos.gospelmais.com.br adaptado por Àdamo

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Jesus e o google

Vivemos em uma época que as pessoas têm uma enorme dificuldade de lidar com o tempo. Hoje, os serviços prestados que mais crescem são aqueles que atendem de imediato às necessidades das pessoas.

A sociedade se tornou imediatista, passa o tempo lutando contra o tempo, quer para ontem e consegue espera somente até hoje.
Essa cultura pós-moderna gerou pessoas que não querem ter que esperar, e, infelizmente, isso acontece também quando o assunto é conhecimento.
O Google oferece uma resposta rápida a todas as perguntas pesquisadas e isso não gera mais formadores de opinião, mas sim “transmissores de opinião”.
Perguntas como “Quem é Jesus de Nazaré?” já receberam aproximadamente 1.130.000 consultas no Google. Isso é preocupante, pois as informações do Google são de fontes diferentes, algumas boas, porém, outras ruins, capazes de produzir incredulidade. Para um site espírita, por exemplo, Jesus é um espírito evoluído; já para um site budista, Jesus é o Iluminado. São informações que contradizem a Palavra de Deus.
A melhor forma de buscar resposta para uma pergunta como essa é examinando as escrituras. Fora da Bíblia não existe resposta suficiente para responder quem é Jesus de Nazaré.
Assim como nós fazemos hoje tantas perguntas, jesus também fazia.
A primeira pergunta feita por Jesus foi dirigida aos seus pais carnais, quando sua mãe lhe disse “Filho, por que você fez isto?”. Ele então, responde fazendo duas perguntas “Por que vocês estavam me procurando?” “Não sabiam que eu devia estar na casa de meu Pai?”.
Os evangelhos também registram a última pergunta feita por Jesus, a qual foi feita antes de sua morte. Essa foi dirigida ao seu Pai espiritual “ Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?”
Jesus foi referido por alguns comentaristas do Evangelho de Marcos, como “O grande interrogador”, aquele que faz perguntas.
A didática de Jesus em seus ensinamentos apresenta uma das ferramentas mais importante para o ensino, que é a arte de fazer perguntas.
Esse método também é conhecido como Socrático, uma prática muito famosa exercida pelo filósofo Sócrates, que consiste em parir idéias complexas a partir de perguntas simples, fazendo com que o ouvinte chegue por seu próprio raciocínio ao conhecimento ou a solução de sua dúvida.
Uma forma de explorar a mente humana é questionando-a. As perguntas confrontam o pré-conhecimento e ajuda as pessoas a chegarem as suas próprias conclusões, gerando assim mentes pensantes.
Jesus nos quatro evangelhos recebeu aproximadamente 183 consultas (perguntas), se todas essas perguntas fossem feita ao Google todos eles teriam uma resposta rápida, porém nenhum deles teriam respostas profundas. Das 183 perguntas feitas a Jesus, apenas 3 Ele respondeu diretamente (igual ao Google). As demais, Ele respondeu com parábola, silêncio e muitas outras vezes com outra pergunta.
Jesus não queria dar respostas rápidas como o Google  Jesus queria que a pessoa pensasse pelo menos no que esta perguntando,(o que não acontece no Google , Jesus queria também que a pessoa se dedicasse e trabalhasse na construção de sua própria resposta.
Nós não devemos buscar apenas uma informação superficial, pois calam nossas dúvidas de forma muito rápida. Precisamos de formação. A informação (Google) nos satisfaz, mas a formação nos capacita.
texto estraido de estudos.gospelmais.com.br com adaptações de Diác. Àdamo

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

crente chorão.


A você que vai ler esta postagem, achei interessante postar isso porque apesar de Morgam Freeman não ser um cristão evangélico, achei que ele foi muito feliz em seu comentário. 
E como vamos nos livrar do racismo?
Morgan Freeman responde: Parando de falar sobre isso!
Nós “crentes” reclamamos muito sobre a forma como somos tratados. Damos muita importância a toda e qualquer ofensa proferida contra nós ou contra nossa fé. Nem parecemos crer que o “mundo” não é nossa última morada. Damos a impressão de que estamos esquecidos do quanto é passageira a nossa existência terrena.
Ficamos tristes por “pequenas coisas” que não são relevantes, já que temos “Boas Novas” num mundo de pouca ou nenhuma novidade. Ainda sentimos muito, coisas que não fazem o menor sentido para um povo que diz que vai morar no céu.
Perdemos a paciência, “fervemos em pouca água”, ignorando assim, a presença do Consolador Espírito Santo.
Paremos de falar, sobre assuntos tolos. Paremos de falar sobre nós mesmos. Paremos de falar uns contra os outros. Paremos de falar dos que pensam diferente de nós.
Lembremos que somos todos, obra máxima do Criador, todos humanos, todos imperfeitos, todos alvos do amor de Cristo.
O hegemônico é sutil, se somos de Deus não é preciso alarde e nem rancor contra os que porventura nos perseguem (por vezes, são coisas da nossa cabeça). Quem precisa dizer ou explicar que é… Nunca foi!
Rogo-vos, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que sejais concordes no falar, e que não haja dissensões entre vós; antes sejais unidos no mesmo pensamento e no mesmo parecer. I Co 1:10
texto extraido do site estudos.gospelmais.com.br

terça-feira, 13 de novembro de 2012

leve Jesus para sua casa


LEVE JESUS PRA CASA

    Suponha que ao chegar hoje em casa você encontre alguém da sua família em estado de choque, à beira da morte. Imagine que não há como remover o doente, nem tempo para chamar um médico. O que você faria?
    Sei que este quadro é apavorante, mas, foi exatamente isto que aconteceu ao Apóstolo Pedro.
    Mas ele teve sorte, pois, sem saber que sua sogra estava mal, levou Jesus pra casa, após terem caminhado juntos um dia inteiro:
    "Tendo Jesus chegado à casa de Pedro, viu a sogra deste acamada e ardendo em febre. Mas Jesus tomou-a pela mão, e a febre a deixou. Ela se levantou e passou a servi-lo.
    Chegada à tarde, trouxeram-lhe muitos endemoninhados; e ele meramente com a palavra expeliu os espíritos e curou a todos os que estavam doentes; para que se cumprisse o que fora dito por intermédio do profeta Isaías:
    Ele mesmo tomou as nossas enfermidades e carregou as nossas doenças". Mt 8.14-17
    Numa época em que qualquer febre ou infecção costumava significar a morte, numa época em que não haviam exames de laboratórios, antibióticos ou bons remédios, lá estava Jesus, mesmo sem ter sido chamado para isto. E Ele, em seu amor e compaixão, salvou a vida daquela mulher.
    Alguém pode dizer: "Hoje é diferente. Hoje em dia há médicos, ambulâncias, laboratórios e remédios". É verdade, o sistema de saúde atual ainda é precário, mas, sem sombra de dúvida, a medicina hoje é muito melhor que a de antigamente, mas, por outro lado, as doenças nunca mataram ou invalidaram tantas pessoas no mundo. A raça humana nunca esteve tão doente.

    Faça como o Apóstolo Pedro:
LEVE JESUS PRA CASA!
    Talvez você ainda não saiba, mas pode haver algum doente em seu lar. E não estou referindo-me apenas às doenças físicas, mas, também às psicológicas e espirituais.
    Eu tenho certeza, de todo o meu coração, que, se você levar Jesus pra casa, Ele fará maravilhas, pois, Jesus abençoa qualquer local em que entra, e na sua casa não será diferente. 
    LEVE-O PRA CASA e tenha surpresas agradáveis. Veja o que Ele fez na casa do Apóstolo Pedro:
1. Jesus curou o doente da casa.
    Talvez haja um doente em sua casa. Alguém deprimido, dependente químico, enfermo, desanimado, infeliz, solitário, suicida em potencial...
    Salve os seus doentes: 
Leve Jesus pra casa!

2. Jesus transformou a casa de Pedro.
   A casa de Pedro ficou "mais leve", mais cheia de vida e alegria.

    Eu sei que você gosta da sua casa, assim como eu gosto da minha, pois não há lugar melhor no mundo que o cantinho da gente, não é mesmo?

    Mas, será que a sua casa não poderia ser ainda melhor? Será que a sua casa não poderia ser aquele lugar especial onde amigos, vizinhos e parentes vêm pedir oração e conselho, ou buscar conforto quando estão sofrendo?

    Responda-me com honestidade: Todos os membros de sua família gostam de ficar em casa ou algum deles "vive na rua"? Será que a sua casa não anda assim?

    Leve Jesus pra casa; Ele vai transformar o seu lar!

3. Jesus cumpriu uma profecia bíblica dentro da casa de Pedro.      No ano 550 antes de Cristo, Isaías profetizou que o Messias viria curando, salvando e libertando. Durante 550 anos o mundo sabia desta promessa, mas não pode beneficiar-se dela.

    Mas Pedro, ao levar Jesus pra casa, teve o grande privilégio de presenciar o cumprimento desta maravilhosa promessa de Deus.
    Tem gente que diz assim: "Já fui à tantas igrejas e, até hoje, meu problema não foi resolvido". Para estas pessoas eu respondo com uma pergunta: "Você já foi à casa de Deus várias vezes, mas Jesus já foi à sua casa?"
    Jesus não ficou pregado naquela cruz horrorosa: Ele está vivo e quer habitar em sua casa, quer estar lá 24 horas por dia, quer abençoar você e sua família. Se você o levar para casa, verá as promessas bíblicas se cumprindo em sua vida e na vida de seus familiares.  

    LEVE JESUS PRA CASA!

    Como?
    Em sua alma, mente e coração.
    Através de seus atos, em cada oportunidade.

    Você tem filhos? Conte as histórias da Bíblia para eles, na hora de dormir.
    Alguém está doente? Sente-se à beira da cama e ore com ele.
    Alguém não consegue dormir, está ansioso? Explique o quê Jesus pode fazer por ele.
    Demonstre o amor de Deus através do seu modo de viver. Mostre à sua família que Jesus é vida, paz e alegria. 
    Deus seja louvado!

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

O QUINTO EVANGELHO ?


O QUINTO EVANGELHO
  
    Deus nos deixou 4 Evangelhos:   
    1. O Evangelho Segundo Mateus
    2. O Evangelho Segundo Marcos
    3. O Evangelho Segundo Lucas
    4. O Evangelho Segundo João
    
Em todos eles Jesus Cristo é apresentado como o Senhor, o centro de tudo.   

Mas, há um novo evangelho na praça, moderno, em que o homem é o centro de tudo.

Eu o chamo de O Quinto Evangelho”. É o “Evangelho Segundo os Santos Evangélicos”. Este último é um apanhado geral dos outros quatro; são textos que recolhemos aqui e ali. Pegamos as passagens que mais gostamos, as que oferecem ou prometem alguma coisa (Um espécie de “Caixinha de Promessa”) – como João 3.16 ou 5.24 e assim por diante – e construímos nossa “teologia sistemática” em torno delas, e esquecemos todos os outros versos que apresentam as ordenanças do SENHOR Jesus Cristo.


É verdade que nos 4 Evangelhos encontramos muitas promessas para o povo de Deus, mas, também encontramos Seus mandamentos.

Quem autorizou tal liberdade? Quem disse que tínhamos permissão para apresentar apenas as promessas?
Suponhamos que estamos assistindo a um casamento, e quando chega o momento de o casal repetir os votos matrimoniais, o noivo diz: “Pastor, eu aceito esta mulher como minha cozinheira particular”, ou “como minha arrumadeira pessoal”. O quê?
   A noiva provavelmente diria: “Ei, espere um pouco! É verdade que eu vou cozinhar, vou lavar a louça, vou arrumar a casa. Mas não vou ser sua empregada – vou ser sua esposa. Você terá de amar-me, dar-me seu coração, seu lar, seus talentos – tudo!”.
    Com Jesus também é assim. Ele é nosso Salvador e Médico. Tudo isso é verdade. Mas não podemos recortar Jesus em partes e escolher apenas as partes que mais nos agradam.
   Estamos nos comportando como criancinhas que recebem uma fatia de pão com geléia. Lambem a geléia e depois devolvem o pão. A mãe passa um pouco mais de geléia, e novamente elas lambem a geléia e devolvem o pão.
    O Senhor Jesus é o Pão da Vida, e talvez o céu possa ser comparado com o doce. Mas temos que comer o pão e a geléia.
   Elas têm freqüentado a igreja apenas por causa da geléia, atendendo a seus próprios interesses – para se curarem, se realizarem, se sentirem felizes, para escaparem do inferno, para chegar ao céu. Eles estão seguindo...

O QUINTO EVANGELHO

    Quando Pedro concluiu seu sermão no Dia do Pentecostes, ele deixou bem claro o seguinte: “Esteja absolutamente certa, pois, toda a casa de Israel de que a este Jesus que vós crucificastes, Deus o fez SENHOR e Cristo". (At 2.36)
    Este era o tema da sua mensagem. Quando aquela gente compreendeu que Jesus era realmente o SENHOR,”compungiu-se-lhes o coração” (vs 37) e começaram a tremer: “Que faremos, irmãos?”  indagaram eles. A resposta foi:“Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo”.  (vs 38).
    O evangelho ensinado por Paulo acha-se resumido no Livro aos Romanos 10.9: “Se com a tua boca confessarem a Jesus como Senhor, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo” Ele é o SENHOR. Ele não é apenas o Salvador.
    Deixe-me dar um exemplo a respeito deste Quinto Evangelho: Em Lucas 12.32, lemos o seguinte: “Não temais, ó pequenino rebanho; porque vosso Pai se agradou em dar-vos o seu reino”Este verso é altamente apreciado por todos os crentes. Mas, e o verso seguinte: “Vendei os vossos bens e daí esmolas”?
    Nunca ouvi um só sermão baseado neste verso, porque não pertence ao Quinto Evangelho. O verso 32 se encontra no Quinto Evangelho, mas o verso 33 não – e ele é uma ordenança de Jesus.
    
    Jesus ordenou que não matássemos.
    Jesus ordenou que amássemos nosso próximo.

    Jesus ordenou que vendêssemos os nossos bens e déssemos esmolas.



    Quem está autorizado a decidir quais os mandamentos de Deus que são obrigatórios e quais são optativos? O Quinto Evangelho introduziu uma estranha inovação: mandamento optativo. Você faz se quiser, mas se não quiser, está tudo certo também. É como se o Departamento de Trânsito lançasse um novo código de trânsito, mas escrevesse na capa: "Estas novas leis de trânsito são optativas; você cumpre se quiser". Estranho, não?

    Mas não é assim o genuíno Evangelho do Reino. No verdadeiro Evangelho Jesus Cristo é o Senhor, o comandante, o "manda-chuva", aquele que determina, que não pede - manda.
    Ou você obedece, ou é rebelde.


    Ele disse: "Se alguém me ama, guardará as minhas palavras". João 14.23a

   E disse também: "Quem me rejeita e não recebe as minhas palavras tem quem o julgue; a própria palavra que tenho proferido, essa o julgará no último dia". João 12.48

    Você ama Jesus?

   Qual evangelho você segue?

texto de Juan Carlos Ortiz

SEM LENHA O FOGO SE APAGA


SEM LENHA O FOGO SE APAGA

"Sem lenha o fogo se apaga;
e não havendo difamador, cessa a contenda".
Provérbios 26.20.

Este verso bíblico descreve uma grande verdade: se as pessoas pararem de "por lenha na fogueira", a contenda acaba.
Este princípio, o "Princípio da Fogueira", aplica-se também à vida espiritual.Quando uma pessoa tem uma experiência real com Jesus Cristo, algo como que um fogo de Deus invade o seu coração. Ela se sente revivida, renovada, animada, inspirada, pronta para qualquer desafio. É capaz de vencer antigas barreiras, vícios, problemas.
No entanto, depois de algum tempo, podemos perceber que este fogo se apaga em alguns crentes. O quê houve? Faltou alimentar o fogo de Deus.
O cristão, então, torna-se morno, indiferente, infeliz.
Qual seria o combustível da vida cristã, capaz de manter a chama acesa? O que mantém o fogo de Deus no coração do cristão são certas práticas diárias. Simples, porém, poderosas. Vamos chamá-las de GRAVETOS.
1. O Graveto da Oração
    Orai sem cessar, dizem as Escrituras.
    Mateus 26.41; I Tessalonicenses 5.17; Tiago 5.16.
2. O Graveto da Leitura Bíblica    Examinai as Escrituras, disse Jesus.
    João 5.39; Mateus 22.29; Efésios 6.17.
3. O Graveto da Convivência Cristã
    Não abandonei a vossa congregação, disse o apóstolo.
    Hebreus 10.25; João 13.34-35; Romanos 12.9-17.
4. O Graveto do Testemunho Pessoal
    E sereis minhas testemunhas, disse Jesus.
    Atos 1.8; Mateus 28.19-20; Marcos 16.15-16.    
O cristão bem informado vê a Oração, a Leitura Bíblica, a Convivência Cristã e o Testemunho Pessoal como privilégios, e não como deveres de casa.
Ele sabe que sua oração é ouvida por Deus porque Jesus Cristo morreu numa cruz em seu lugar; que muitos dedicaram suas vidas para que as Escrituras chegassem às suas mãos; que a Convivência Cristã permite-lhe realizar para Deus obras que jamais conseguiria sozinho e que o seu Testemunho Pessoal, além de salvar vidas, contribui para a sua própria edificação e fortalecimento da Igreja.
Irmão, mantenha a chama acesa.
Lembre-se: Sem lenha, o fogo se apaga.

site de pastor

terça-feira, 23 de outubro de 2012

tudo coopera




Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito. Rm 8:28

É natural que nos perguntemos, diante do sofrimento, por que Deus está nos testando e provando?
Uma história nos ajuda na resposta.
Um homem encontrou um casulo que tinha caído de uma árvore. A borboleta estava começando a surgir. Então, o homem parou para observar. Ela lutou por uns 40 a 50 minutos. 
Naquele momento, apenas a cabeça e uma parte da asa tinham saído do casulo. Pensando que poderia ajudar a borboleta em sua luta, o homem pegou um canivete afiado e abriu o casulo para libertar a larva que emergia. Para sua surpresa, ele pôde perceber que a parte que tinha se desenvolvido tinha travado um grande esforço em meio a uma grande luta. A parte que ele abriu permaneceu fechada, sem condições de chegar ao lado de fora do casulo.
Em lugar de ajudar a larva a se tornar uma borboleta, o homem a matou.
“Considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações, pois vocês sabem que a prova da sua fé produz perseverança. E a perseverança deve ter ação completa, a fim de que vocês sejam maduros e íntegros, sem lhes faltar coisa alguma” (Tiago 1.2-4).
Deus tem um grande plano em nossa vida, algo tão grande que lhe dará e que é a razão de todas as suas lutas.

terça-feira, 16 de outubro de 2012

SEU VALOR



Professor, eu me sinto um inútil. Não tenho força alguma. Dizem-me que não sirvo para nada... que sou lerdo... um completo idiota. Ajude-me, por favor.
O professor, sem olhá-lo, disse-lhe: - Sinto muito, meu jovem. Você me pegou num dia ruim. Estou tentando resolver um sério problema. Volte outra hora, por favor.
Quando o jovem já ia saindo, o professor lhe propôs: - Bem, se você me ajudasse, eu poderia resolver o meu problema mais rápido, daí a gente poderia conversar...
- C... Claro, professor, gaguejou o jovem, bastante inseguro.
O professor tirou um anel que usava no dedo pequeno e disse ao garoto: - Monte meu cavalo e vá até o mercado vender este anel. Preciso pagar uma dívida, mas, por favor, não o venda por menos que uma moeda de ouro. Vá correndo e volte o mais rápido que puder.
Mal chegou ao mercado, o jovem começou a oferecê-lo a todos que encontrava. Eles olhavam com algum interesse, mas, quando o jovem dizia quanto pretendia pelo anel, eles riam, volviam-lhe as costas, ignoravam-no. Somente um velhinho, vendo o sofrimento do rapaz, foi simpático com ele, e lhe explicou que uma moeda de ouro era muito dinheiro por aquele anel.
Um outro, tentando ajudar, chegou a oferecer uma moeda de prata e uma xícara de cobre, mas o jovem, seguindo as orientações do seu professor, recusou a oferta.
Abatido pelo fracasso, montou novamente o cavalo e, muito triste, voltou para a casa do professor. Chegou mesmo a desejar ter uma moeda de ouro e comprar aquele anel, mesmo que não valesse tanto, somente para ajudar seu mestre.
Ao entrar na casa, relatou: - Professor, sinto muito, não consegui vender o anel. É impossível conseguir o que o senhor está pedindo por ele. Talvez eu possa conseguir 2 ou 3 moedas de prata, mas, não mais que isso. Não podemos enganar ninguém sobre o valor deste anel.
- Você tem razão, meu amigo. Antes de tentar vender o anel, deveríamos, primeiro, saber seu real valor. Não queremos enganar ninguém, nem ser enganado, não é mesmo? Por favor, faça-me mais uma coisa: Monte novamente o cavalo e vá até o joalheiro; quem melhor do que ele para saber o valor deste anel? Diga-lhe que eu quero vendê-lo e pergunte quanto ele pode ofertar, mas, atenção meu amigo, não importa o quanto ele ofereça, não venda o anel ao joalheiro. Apenas pergunte o valor do anel e o traga de volta.
Ainda tentando ajudar seu professor, o jovem foi até o joalheiro e lhe deu o anel para examinar. O joalheiro, então, lhe disse: - Diga ao professor que, se ele tem pressa em vender o anel, não posso lhe dar mais do que 8 moedas de ouro...
- 8????? Perguntou o jovem.
- Sim, replicou o joalheiro, posso chegar a lhe oferecer até 10 moedas, mas, só se ele não tiver pressa.
O jovem, emocionado, correu até a casa do professor e contou-lhe tudo. – 8 moedas de ouro, uau! – exclamou o professor, e rindo, zombou: - Aqueles homens no mercado deixaram de fazer um bom negócio, não é mesmo? – Sim, professor, concordou o menino, todo empolgado.
- Então, professor, perguntou o menino, o senhor vai vender o anel por 8 ou por 10 moedas? – Não vou vendê-lo, respondeu ele, fiz isso apenas para que você entenda uma coisa:
- Você, meu jovem, é como esse anel: uma jóia valiosa e única. Mas, somente pessoas sábias podem avaliar seu real valor. Ou você pensava que qualquer um poderia avaliá-lo corretamente? Não! Não importa o que digam de você, o que importa é o seu real valor.
E, dizendo isso, colocou seu anel de volta no dedo.
- Todos nós somos como esta jóia: únicos e valiosos. Infelizmente, passamos a vida andando por todos os mercados da vida, barateando nosso próprio valor, pretendendo que pessoas mal preparadas nos valorizem. Ninguém deveria ter a força de nos fazer sentir inferior, sem o nosso consentimento. Cada um de nós é especial, pois foi Deus que nos fez.

"Não se julguem melhores do que realmente são. Ao contrário, sejam modestos nos seus pensamentos, e cada um julgue a si mesmo conforme a fé que Deus lhe deu". Romanos 12.3

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

AJA COM SABEDORIA


Antônio, um pai de família, um certo dia, quando voltava do trabalho dirigindo num trânsito bastante pesado, deparou-se com um senhor que dirigia apressadamente vinha cortando todo o mundo e, quando se aproximou do carro de Antônio, deu-lhe uma tremenda fechada, já que precisava atravessar para a outra pista. Naquela hora, a vontade de Antônio foi de impedir sua passagem, mas logo pensou:

- Coitado! Se ele está tão nervoso e apressado assim… Vai ver que está com um problema sério e precisando chegar logo ao seu destino.
Pensando assim, foi diminuindo a marcha e o deixou passar. Chegando em casa, Antônio recebeu a notícia de que seu filho de três anos havia sofrido um grave acidente e fora levado ao hospital.
Imediatamente seguiu para lá e, quando chegou, sua esposa veio ao seu encontro e o tranqüilizou dizendo:
- Graças a Deus está tudo bem, pois o médico chegou a tempo para socorrer nosso filho. Ele já está fora de perigo. Antonio, aliviado, pediu que sua esposa o levasse até o médico para agradecê-lo.
Qual não foi sua surpresa quando percebeu que o médico era aquele senhor apressado para o qual ele havia dado passagem!

“Procure ver as pessoas além das aparências”.
Imagine que por trás de uma atitude, existe uma história, um motivo que leva a pessoa a agir de determinada forma.


Melhor é a sabedoria do que as armas de guerra. 
Eclesiastes 9-17a

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

DEUS NUNCA SE AFASTA DE NÓS



Quantas vezes nossos erros acontecem a ponto de “gelar” nosso relacionamento com Deus?
Isto já aconteceu com você?
Já sentiu Deus triste e distante por causa de seus erros ou já se sentiu tão errado a ponto de entristecer-se e não ter força ou coragem de buscar a Deus?
Digo-lhe que essa é a maior consequência do pecado: o afastamento de Deus, o afastamento da graça, da comunhão…
Lembra-se de Adão e Eva?
Quando pecaram, esconderam-se de Deus e em seguida perderam a comunhão diária que tinham com Ele…
Assim acontece conosco!
Mas hoje o Senhor manda te dizer que o pecado pode nos afastar Dele, mas Ele não se afasta de nós…
Seu amor, sua misericórdia estão lá, ao nosso alcance, independente de nossa situação ou do tamanho de nosso erro. Basta que nos arrependamos e O busquemos.
Ontem tive uma experiência linda e interessante.
Como o Espírito Santo e o amor de Deus são maravilhosos!
Acordei, li a Palavra e em seguida deixei para vocês aqui o versículo de
 Zacarias 1,3, que diz: “Tornai para mim, diz o Senhor dos exércitos, e Eu tornarei para vós, diz o Senhor dos Exércitos”
Foi delicioso ler este versículo, mesmo sem ter tido tempo de parar para escrever mais sobre ele. O Senhor me falava que bastava nos voltarmos para Ele que Ele se voltaria para nós…
Segui então para meus afazeres e compromissos e, durante o dia, me vi caindo num erro que há muito tempo não caía. Por descuido e falta de vigilância percebi que havia errado diante de Deus. O velho homem havia aflorado e a carne falara mais alto…
Lembrei-me de Romanos 7:18-19:“Porque eu sei que, em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; e, com efeito, o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem”.
Porque não faço o bem que quero, mas, o mal que não quero, esse faço”.
Que sentimento de fracasso e de vergonha!
Nas luta contra a carne eu havia, mais uma vez, sido derrotada…
Mas o Espírito Santo me fez lembrar imediatamente do versículo que Ele havia me dado de manhã cedo: “Tornai para mim, diz o Senhor dos exércitos, e Eu tornarei para vós, diz o Senhor dos Exércitos”
Tornai para mim e eu tornarei a vós…
Percebi, então, o amor e o cuidado de Deus que, mesmo diante de uma pecadora fraca e carnal era zeloso o suficiente para me mostrar o caminho e dizer: Ei! Não deixe o pecado te paralisar! Tornai para mim e Eu tornarei para vós!
Imediatamente, então, mesmo ainda sentindo a dor e a vergonha do pecado, ajoelhei-me e pedi perdão, do fundo do meu coração…
Estou partilhando esta experiência pessoal com você aqui hoje porque Deus quer tratar pessoas que, envergonhadas por seus erros e, sentindo o peso das acusações do diabo, tem vivido uma vida de amargura e tristeza longe da presença de Deus.
Ei! Hoje o Senhor manda te dizer que o pecado pode ter te afastar Dele, mas Ele não se afastou de você!
Basta que você reconheça seu erro e retorne porque Ele está de braços abertos pronto para te receber.
Hoje é dia de reconciliação com Deus!
Não importa o tamanho de seu erro o que importa é que você reconheça seu pecado e peça perdão. Porque Ele está pronto para te receber.
No final do dia, antes de dormir, pedi ao Espírito Santo que falasse comigo através de sua palavra e Ele carinhosamente me conduziu a Mateus 9:2, que diz: “Filho, tem bom ânimo, perdoados te são os teus pecados”.
Que coisa maravilhosa é sentir o favor e o perdão de Deus!
Que coisa maravilhosa é perceber que o amor de Deus cobre meus pecados e me conduz pelo caminho em que devo andar!
Lembra-se de Davi?
Ele errou muito em sua vida, mas ainda assim não deixou de ser chamado de homem segundo o coração de Deus.
Sabe porque?
Porque após errar, Davi rasgava o seu coração diante de Deus, reconhecia seus pecados e clamava por perdão.
Davi não corria de deus após pecar mas procurava sua presença e clamava por perdão.
Ei!
Hoje o Senhor manda te dizer que Ele quer tratar pessoas que, envergonhadas por seus erros e, sentindo o peso das acusações do diabo, tem vivido uma vida de amargura e tristeza longe da presença de Deus.
Se você é uma dessas pessoas, Ele te diz: “Tornai para mim, diz o Senhor dos exércitos, e Eu tornarei para vós, diz o Senhor dos Exércitos” e “tende bom ânimo, perdoados te são os seus pecados”.
Cometeu algum erro?
Perdoados te são os seus pecados!
Fez alguma coisa que desagradou a Deus?
Não fuja!
Deus não se envergonha de ti. Apenas volte para os braços do Pai. E Ele, que é rico em sabedoria e amor, lhe dará forças para continuar para vencer o mal
 
Se confessarmos os nossos pecados,Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça. I Jo 1-9