Google+ Followers

Igreja Evangélica Congregacional de Vila Mury

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

FÉ É A CONVICÇÃO DE FATOS QUE SE NÃO VÊEM





crentes de uma igreja no interior devido a grande seca que havia naquela região e por estar trazendo prejuízo a muitos, combinaram de voltar a noite para clamarem ao Senhor pedindo chuva e na hora marcada estava a criança com guarda chuvas, bota e capa de chuva e alguns querendo rir foram repreendidos pelo silêncio dos demais, envergonhados pela fé sincera daquela criança.


PRECISAMOS TER FÉ EM DEUS COMO ESSA CRIANÇA, AGIR COMO SE JÁ ESTIVESSE ACONTECENDO. 

Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem. 
                                           Hebreus 11:1

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

A FÉ E AS OBRAS





O Sr. Walter Scott, tendo de atravessar um dos lagos da Escócia, tomou um dos botes para esse serviço. No momento em que principiava a remar em busca da margem oposta, notou que um dos remos tinha gravada a palavra "Fé" e o outro "Obras".
Perguntou curiosamente o que significava aquilo, ao que o barqueiro não respondeu mas tomou o remo que tinha a palavra "Obras" e remou com força. O resultado foi que o bote só dava voltas e mais nada. Deixando este remo tomou o que tinha a palavra "Fé" e remando fortemente com este obteve o mesmo resultado. O homem que procede assim em sua vida terá pouco poder nela e viverá sempre em confusão.
Finalmente, tomando ambos os remos, "Fé" e "Obras", começou a remar e imediatamente o barco, empurrado por aquelas forças, atravessou o lago chegando com uma marcha rápida ao porto de destino.

A fé precisa ir acompanhada sempre das obras porque as obras são o fruto da fé. 


Mas queres saber, ó homem insensato, que a fé sem obras é inútil?
                                          Tiago 2:20


terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

E quando orar...


"E quando vocês orarem, não sejam como os hipócritas. Eles
gostam de ficar orando em pé nas sinagogas e nas esquinas, a fim de
serem vistos pelos outros. Eu lhes asseguro que eles já receberam
sua plena recompensa.
Mas quando você orar, vá para seu quarto, feche a porta e ore a
seu Pai, que está em secreto. Então seu Pai, que vê em secreto, o
recompensará".                                                                                     
                                                                                                                          Mateus 6:5,6
Reflexão:

Porque nós não enxergamos Deus, começamos a pensar que Ele
também não nos vê. Ao invés de ficar satisfeitos com a atenção
dEle, começamos a buscar a atenção de homens. Trocamos a aprovação
divina pela admiração humana. Se seguirmos esse caminho, a
recompensa por tudo que fazemos permanecerá aqui na terra. Os
homens ouvirão as nossas orações, mas, só eles ouvirão, pois Deus
ignora-las-á. Conta-se a história de um assistente que, ao ir a um
jantar na Casa Branca, foi convidado pelo então Presidente Johnson
a dar graças pela refeição. Depois que o assistente começou a orar,
ele ouviu o Presidente dizer "Pode falar mais alto". Momentos
depois o Presidente repetiu "Pode falar mais alto!". Quando o
repórter terminou a oração o Presidente se queixou de que quase não
ouviu a oração. O assistente respondeu "Desculpe, meu Presidente.
Mas, não estava falando com o senhor." Deus sabe com quem estamos
falando quando oramos. Independente do fato de outros estarem
ouvindo ou não, Deus ouvirá e atenderá se for verdadeiramente com
Ele que estamos falando. Para suas orações serem ouvidas lá do
alto, basta que sejam dirigidas a Deus. Ele ouvirá.
O ponto de Jesus não é de condenar a oração em público. Jesus e
os primeiros discípulos oraram em público em diversas ocasiões (Mc
6:41; Lc 11:1; João 17; Atos 1:24; 3:1; 4:24-30). Não é que temos
que entrar num quarto sozinho com a porta fechada para Deus nos
ouvir. Mas, para ter uma conversa importante com alguém, a maioria
de nós procuramos um local e um momento reservado. Queremos a
atenção daquela pessoa e queremos evitar distrações. Deus não pode
ser distraído. Mas, nós podemos e freqüentemente somos distraídos
pela presença, pelo interesse, pela reação de outras pessoas. Se
meu objetivo for uma conversa intima com Deus, nada melhor que um
lugar reservado. Lá eu vou poder concentrar meus pensamentos nEle.
Ele me ouvirá porque saberá que é com Ele, somente Ele, que eu
quero falar. Se nós formos uma igreja que juntos oramos a Deus,
mas, em particular, não falamos quase nada com Ele, o que é que
isso mostra? Como alguém observou - A oração em grupo tem força na
medida que a oração em particular tem vida.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

quando der esmolas...




Portanto, quando você der esmola, não anuncie isso com
trombetas, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, a fim
de serem honrados pelos outros. Eu lhes garanto que eles já
receberam sua plena recompensa."
                                                       Mateus 6:2


Reflexão:

Sabemos que o Cristão não deve se preocupar com tesouros aqui.
Longe de nós a cobiça e o consumismo desenfreado do mundo. Muitos
discípulos conseguem se livrar dessas tentações. Mas, há outra
cobiça que às vezes vem e estraga tudo. É a cobiça pelo
reconhecimento. Dizemos que temos fé em Deus. Mas, na questão do
reconhecimento revelamos aonde realmente está a nossa fé. Ao invés
de esperar pela recompensa que Deus nos promete, queremos uma
porção aqui. Queremos a atenção de nossos amigos, colegas e irmãos.
Queremos um pouco de pagamento adiantado nas promessas de Deus. Se
não conseguimos esperar a recompensa que Deus está guardando para
nós, então tudo que teremos é isso aqui. Perderemos o que Deus está
guardando para nós. Qual recompensa você acha será maior?

Hermeneutica

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

AMOR AO PRÓXIMO




"Vocês ouviram o que foi dito: 'Ame o seu próximo e odeie o seu
inimigo'. Mas eu lhes digo: Amem os seus inimigos e orem por
aqueles que os perseguem, para que vocês venham a ser filhos de seu
Pai que está nos céus. Porque ele faz raiar o seu sol sobre maus e
bons e derrama chuva sobre justos e injustos."
                 Mateus 5:43-45
REFLEXÃO:

A lei mandava amar o próximo (Lev 19:18). Mas alguns intérpretes
da lei concluíram que uma inferência necessária do amor ao próximo
seria o ódio ao inimigo. Vemos como as inferências humanas são
perigosas. Só porque Deus mandou uma coisa não quer dizer que outra
coisa que não seja mandada é proibida. Se Deus mandou amar o
próximo não quer dizer que era proibido amar o inimigo. Mas, foi
isso que certos intérpretes concluíram. O amor ao inimigo é um dos
maiores desafios para o Cristão. Há inimigos que causam dor, perda
e até criam obstáculos para o crescimento do Reino. É difícil
entender como amor a eles seria a vontade de Deus. Mas, ninguém fez
mais contra Deus do que aqueles que crucificaram seu filho Jesus. E
qual foi o pedido de Jesus para eles? “Pai, perdoa-lhes, pois não
sabem o que estão fazendo” (Lucas 23:34). Como John Stott observou
"Se a tortura cruel da crucificação não conseguiu silenciar a
oração do Senhor por seus inimigos, que dor, orgulho, preconceito
ou preguiça justificaria o silêncio da nossa?" Tem algum inimigo
precisando da sua oração hoje?

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

dê a quem lhe pede...




"Dê a quem lhe pede, e não volte as costas àquele que deseja
pedir-lhe algo emprestado."
                       Mateus 5:42

Reflexão:

Ao ler uma palavra de Jesus como essa, às vezes somos rápidos
para lembrar que Paulo também falou "Se alguém não quer trabalhar,
também não coma." (2 Tess 3:10). Sabemos que não é para dar ou
emprestar a pessoas preguiçosas. Mas, há muitas pessoas que não
conseguem trabalho por vários motivos que não são preguiça. Jesus
não quer que demos dinheiro a um viciado para comprar drogas ou
álcool, nem que ajudemos voluntariamente pessoas que irão cometer
atos ilegais ou pecaminosos. É preciso enxergar com Agostinho que
Jesus disse "dê a quem lhe pede" e não "dê o que lhe for pedido".
Podemos dar pão a um viciado ou roupa para uma pessoa presa.
Podemos compartilhar porções das Escrituras com qualquer pessoa que
encontramos. A esperança, a semente do Evangelho, ou uma palavra de
conforto são "bens" que fazem o bem que podemos compartilhar com
todos. E, quando as circunstâncias permitem e há um pedido
legítimo, devemos sim dar dinheiro ou pagar contas ou comprar
remédio quando é pedido. Mas dar, sempre podemos, e de acordo com
Jesus, sempre devemos. Foi isso que ele fez com seus piores
inimigos que não demonstraram um pingo de interesse em fazer o que
é certo. Jesus deu a eles também porque esta é a natureza de Deus.
E ele deu a sua vida a nós antes que nós mostrássemos qualquer
interesse em receber ou agradecer a maior dádiva que alguém pode
receber. Se temos Jesus como modelo, nós também vamos ser generosos
em dar e compartilhar.

Hermeneutica