Google+ Followers

Igreja Evangélica Congregacional de Vila Mury

segunda-feira, 23 de abril de 2012

O SABÃO E O EVANGELHO


     
"Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim" (Gálatas 2:20) 

Um fabricante de sabão e um pregador estavam caminhando juntos em uma rua de uma cidade grande. O fabricante de sabão falou de modo natural: "O Evangelho que você prega não tem produzido resultados, não é verdade? Veja só... existe muita maldade e muitas pessoas más neste mundo!" O pregador se manteve calado até que passaram por uma pequena criança que, muito suja, brincava com lama na rua. Aproveitando a oportunidade, o pregador disse: "eu vejo que o sabão não tem ajudado as pessoas no mundo. Existe muita sujeira e muitas pessoas sujas também. Veja só aquele menino!" O fabricante de sabão disse: "Oh, bem, o sabão só funciona quando é aplicado". O pregador comentou: "Exatamente, e assim também acontece com o Evangelho".

O que tem sido o Evangelho de Cristo para nós? Uma Palavra que lemos? Uma Palavra que pregamos? Ou uma Palavra que lemos, pregamos e aplicamos em nossa vida espiritual? 
De que adianta eu falar que Cristo é amor se eu não demonstro amor em minhas atitudes? De que vale eu mostrar ao perdido o Caminho se, constantemente, estou andando por outros lugares? De que me serve falar que o Senhor morreu na cruz para nos dar vida em abundância se eu vivo murmurando por todos os cantos como se a minha vida fosse insignificante?A minha pregação do Evangelho só produzirá resultados se ele estiver aplicado em minha própria vida. 

O mundo só será transformado por minha pregação se eu deixar que o Senhor me transforme primeiro.
Assim como o sabão retira a sujeira de quem o usa, deixemos que o Evangelho de Cristo nos purifique para que a nossa pregação alcance os corações e produza vidas plenas de felicidade neste mundo.

Tg 1-22 E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos.

segunda-feira, 16 de abril de 2012

olhe para o alto...





Se você colocar um falcão em um cercado de um metro quadrado, e inteiramente aberto por cima, o pássaro, apesar de sua habilidade para o vôo, será um prisioneiro. A razão é que um falcão sempre começa seu vôo com uma pequena corrida em terra. Sem espaço para correr, nem mesmo tentará voar e permanecerá um prisioneiro pelo resto da vida, nessa pequena cadeia sem teto.
O morcego, criatura notavelmente ágil no ar, não pode sair de um lugar nivelado. Se for colocado em um piso completamente plano, tudo que ele conseguirá fazer é procurando alguma ligeira elevação de onde possa se lançar.
Um zangão, se cair em um pote aberto, ficará lá até morrer ou ser removido. Ele não vê a saída no alto, por isso, persiste em tentar sair pelos lados, próximo ao fundo. Procurará uma maneira de sair onde não existe nenhuma, até que se destrua completamente, de tanto atirar-se contra o fundo do vidro.
Há pessoas como o falcão, o morcego e o zangão: atiram-se obstinadamente contra os obstáculos, sem perceber que a saída está logo acima. Se você está como um zangão, um morcego ou um falcão, cercado de problemas por todos os lados, olhe para cima!
Deus é a solução de TODOS os problemas.
Creia em Jesus e no poder redentor da Cruz.
O Senhor morreu para que você tenha vida abundante. Nunca duvide disso!
Olhe para o alto e busque a Deus.
Dobre seus joelhos e derrame seu coração aos pés da cruz. Deus nunca deixa de responder àqueles que vão até Ele.
"Clama a mim e responder-te-ei e anunciar-te-ei coisas grandes e ocultas que não sabes."Jeremias 33:3
                                         
                                      Olhai para mim e sereis salvo. Is45:22

terça-feira, 10 de abril de 2012

Lá no fundo do oceano...



Lá no fundo do oceano, uma ostra abriu bem a sua concha para deixar a água passar através dela. Da água que passava suas guelras extraíam o alimento que a seguir ia para o estômago. De repente, um peixe grande ali perto levantou uma nuvem de areia e lodo com um movimento do seu rabo. Areia?! Oh, como a ostra detestava areia. Era áspera e fazia sua vida muito desagradável e desconfortável, era um grande incômodo sempre que entrava na sua concha. rapidamente a ostra se fechou, mas tarde demais. Um grãozinho duro e saibroso tinha entrado e se alojado no interior da ostra.
 Puxa, como aquele grãozinho de areia incomodava!Mas quase que imediatamente as glândulas especiais que Deus lhe havia dado para revestir o interior da sua concha começaram a produzir uma substância para cobrir o grão de areia irritante com uma linda camada macia e brilhante. A cada ano que passava, a ostra acrescentava mais camadas sobre o grãozinho de areia, até que por fim havia produzido uma grande pérola reluzente e de grande valor. 

    Às vezes, os problemas que temos se assemelham um pouco a esse grãozinho de areia. Eles nos incomodam e nos perguntamos por que será que temos que passar por esse incômodo e inconveniência. Mas se permitirmos, Deus, com a Sua graça, começa a transformar os nossos problemas e fraquezas em algo precioso. Nos aproximamos mais do Senhor, oramos com maior fervor, ficamos mais humildes e submissos, mais sábios e mais capacitados para enfrentar os problemas. Como bênçãos disfarçadas, o Senhor logo pega esses grãozinhos ásperos de areia na nossa vida e os tranforma em pérolas preciosas de força e poder, e eles se transformam em esperança e inspiração para muitos.
    Deus nos faz mais fortes com cada vitória. É mais ou menos como uma vacina: Ele nos dá pequenas doses para não pegarmos a doença e para, de uma forma constante e gradual, aumentar nossa resistência. Mas se você nunca for posto à prova, nunca tomar uma pequena dose, nunca conseguirá aguentar a dose grande.
    De uma certa forma, o Senhor faz isso conosco. Ele nos põe à prova nos dando um pouco mais cada dia, para nos testar, para aumentar a nossa resistência e nos tornar mais fortes. Ele nos vacina cada dia com um pouco mais de soro de sacrifício, provações, problemas e luta. Ele procura deixar você mais forte a cada dia e fazer com que consiga dar um pouco mais, sacrificar um pouco mais, sofrer um pouco mais, lutar um pouco mais e crescer um pouco mais. Por isso saiba que tudo que acontece com você quando você está disposto a fazer a vontade de Deus tem um propósito. Hoje você pode não entender, mas com o tempo entenderás que todas as coisas cooperam juntamente para o bem daqueles que amam a Deus.



                                        Romanos 8:28


Dc Vitorino Eliseu adaptado por Ádamo oliveira dos Santos

segunda-feira, 9 de abril de 2012

porventura sou eu Rabi?




Mateus 26:25

Também Judas, que o traía, perguntou: Porventura sou eu, Rabí?
Respondeu-lhe Jesus: Tu o disseste.
 


Reflexão:


A situação era constrangedora. Judas não podia deixar de
perguntar porque todos os outros fizeram. Mas, ele temia a
resposta. De certa forma, Jesus o poupou. Embora Jesus não o acusou
abertamente, sua resposta deve ter dado um susto ao traidor. Como é
seu costume, Jesus bateu na porta para alertar, mas, recusou forçar
a entrada para desmascarar. Jesus respeita a nossa livre vontade.
Ele quer que nós nos arrependamos por escolha própria. Será que
estamos ouvindo a batida?

domingo, 8 de abril de 2012

celebrando a páscoa





Mateus 26:18b



“Vou celebrar a Páscoa com meus discípulos em sua casa”.
 




Reflexão:



Já imaginou? Jesus celebrando a Páscoa em sua casa? Se o dono
daquela casa soubesse que o próprio filho de Deus estaria ceando em
sua casa, qual teria sido a reação dele? Todas as vezes que tomamos
a ceia, fazemos isso com outros filhos e filhas tão preciosos para
o Pai quanto seu Filho Jesus. Não foi por eles que Deus enviou
Jesus para dar a sua vida? Hoje não podemos honrar o Filho de Deus
como faríamos se ele fosse cear em nossa casa. Mas, podemos honrar
os outros filhos dEle com compreensão, com perdão, com
encorajamento e tolerância, em fim, com amor – o ingrediente
principal da verdadeira Páscoa.

terça-feira, 3 de abril de 2012

qual o nosso foco?


Mateus 26:6-10

Estando Jesus em Betânia, em casa de Simão, o leproso,aproximou-se dele uma mulher que trazia um vaso de alabastro cheio de bálsamo precioso, e lho derramou sobre a cabeça, estando ele reclinado à mesa. Quando os discípulos viram isso, indignaram-se, e disseram: Para que este disperdício? Pois este bálsamo podia ser vendido por muito dinheiro, que se daria aos pobres. Jesus, porém, percebendo isso, disse-lhes: Por que molestais esta mulher? pois praticou uma boa ação para comigo. 
Reflexão:

No relato de João, Judas é destacado na sua condenação de Maria. Aqui, vemos que os outros discípulos se uniram à crítica. Os discípulos se preocuparam com princípios - administrar finanças e "os pobres". Jesus se preocupou com uma pessoa - Maria. Embora Jesus houvesse falado, talvez horas antes, sobre o cuidado com os necessitados (Mat 25:35-36), o foco dele é sempre no individual "tive fome", "tive sede", "era forasteiro". Aqui também, a atenção de Jesus é voltada para o indivíduo - Maria. Qual o foco das nossas atenções? Idéias ou pessoas?