Google+ Followers

Igreja Evangélica Congregacional de Vila Mury

sexta-feira, 25 de maio de 2012

QUE CRISTIANISMO É ESSE ?



Que CRISTIANISMO é esse que só vê o seu lado?
Que CRISTIANISMO é esse que só quer conforto?
Que CRISTIANISMO é esse que não senti a dor do outro?
Que CRISTIANISMO é esse que não pára, escuta e compreende?
Que CRISTIANISMO é esse cercado por 4 paredes?
Que CRISTIANISMO é esse do prazer, contentamento, conformismo e festas?
Que CRISTIANISMO é esse que vive um EVANGELHO FABRICADO?
Fabricado para satisfazer meia dúzia de manipuladores e aproveitadores da fé e alma sedenta da “Igreja”.
Que CRISTIANISMO é esse que dá mais valor ao que Deus pode oferecer ao que realmente Ele é?
Buscando bens materiais e riquezas que a traça e a ferrugem corroem, esquecem que o nosso maior tesouro foi morto em um madeiro, inocente.
Que CRISTIANISMO é esse que o DOM é mais fundamental que o FRUTO?
Deixando nossas Igrejas vazia de Deus e cheias do Homem. Vazias do desejo e sonhos de Deus, porém cheias de anseios humanos.
Que CRISTIANISMO é esse que deixa de lado a Pregação da Cruz e coloca em seu lugar doutrinas criadas unicamente para elevar o ego do expectador?
Que CRISTIANISMO é esse que não pensa?
Que CRISTIANISMO é esse que aceita tudo calado?
Que CRISTIANISMO é esse que não busca em Deus a resposta, mas corre para o “profeta”, “bispo”, “apóstolo” ou “pastor” para determinar o certo e o errado?
Que CRISTIANISMO é esse que aprisiona, que exige, que maltrata?
Que CRISTIANISMO de sacrifícios de tolos é esse?
Que CRISTIANISMO do toma lá dá cá é esse?
Isso pode ser qualquer coisa, menos CRISTIANISMO!!
Porque virá tempo em que não suportarão a sã

 doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, 

amontoarão para si doutores conforme as suas 

próprias concupiscências; 


2 Timóteo 4:3

sexta-feira, 11 de maio de 2012

A CARTA



“Desde agora, a coroa da justiça está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, dará naquele dia a todos os que amarem a sua vinda.” (II Timóteo 4:8)



“Senhor, estou muito preocupado com a tua volta. Alguns dos sinais que indicaste estão se cumprindo e já há muitos teólogos e pregadores que falam abertamente sobre a proximidade de tua segunda vinda. Por isso, ò Mestre, apresso-me a escrever para te suplicar: NÃO VENHAS AGORA! Estou metido em muitos negócios que não podem ser interrompidos no pé em que estão; deixa que primeiro eu solucione alguns problemas e depois podes voltar. Mas não voltes num dia chuvoso ou frio, pois em dias assim eu gosto de ficar em casa revendo fotografias, lendo um livro romântico ou ouvindo músicas antigas. Peço-te também que não venhas num dia de muito calor, porque será muito difícil eu sair da minha sala com ar condicionado. Por favor, Mestre, não voltes quando eu estiver gozando minhas férias, para não interromperes esses meus momentos tão raros de alegria; também não voltes num Domingo à tarde, porque eu gosto de ficar vendo televisão. Se não estou sendo importuno, Senhor, rogo-te que não voltes enquanto eu não terminar a decoração do meu apartamento e que também não chegues à noite, porque depois que instalei ar condicionado, durmo um sono tão pesado que não consigo acordar cedo nem aos domingos para levar as crianças na Igreja. Seria ótimo se não viesses na hora em que estou fazendo negócios, pois talvez não fosse gostar de ver que preciso lançar a menos por causa dos impostos, sabe como é que é: nesse mundo quem quiser ser muito honesto não vai pra frente. Por favor, Mestre, avise-me uns dias antes da tua vinda, para que tenha tempo de procurar o tesoureiro da Igreja a fim de por em dia minhas contribuições, e também porque eu gostaria de fazer as pazes com o Siqueira e me desculpar com a Maria Clara pelas coisas que eu disse a ela. Também gostaria de ter tempo de devolver aquele dinheiro que ganhei na transação com o televisor. Se puderes me avisar com uns meses de antecedência, ficarei muito grato, porque poderei por tudo em ordem e terminar a leitura do Evangelho de Lucas, que comecei quando me converti, há seis anos. Sugiro ainda que avises o pastor com antecedência, para que ele anuncie na Igreja, pois sei de muita gente que também precisa se  preparar para a tua volta. Certo de que me atenderás, aproveito o ensejo para hipotecar toda minha lealdade à tua causa. Cordialmente...”

Talvez nenhum de nós tenha coragem de escrever e assinar uma carta deste tipo. Mas infelizmente muito do seu conteúdo permeia nossas mentes e corações. A verdade é que, se possível, gostaríamos de viver aqui neste mundo para sempre e nem queremos pensar na possibilidade de partir e estar com Cristo.
Esta constatação nos remete à dura realidade que enfrentamos em nossos dias: não amamos Jesus como deveríamos! E este é único problema que precisamos resolver... Feito isto, o tema da nossa carta e o clamor do nosso coração será: 
MARANATA, VEM SENHOR JESUS!

Pr Gérson Moura adaptado por Àdamo

sexta-feira, 4 de maio de 2012

arrependimento verdadeiro...



Mateus 26:75b  e saindo dali, chorou amargamente.

Sabe aquele momento quando fica patente que você errou, mediu-se mal, quando você se achou mais forte do que era e pisou na bola? É Aquele momento quando levantam o tapete e a sujeira está lá, quando a sua “santidade” é colocada em xeque. Chamo esse momento de “Quando o Galo Canta”.

Foi o que aconteceu com Pedro quando Ele negou a Jesus – Mateus 26:34,69-75 – Não existe nada pior, nada é tão desesperador do que a verdade, ela é como um espelho onde a gente pode se reconhecer vilão em trajes de mocinho. Quando o Galo Canta o chão sai dos seus pés, e você fica de novo flutuando naquele universo de tristeza. Como eu sei disso? Aconteceu comigo muitas vezes. Isso faz parte da caminhada do discípulo aliás, como a gente julga pesado do alto da nossa “santíssima espiritualidade”, os caras da Bíblia! Somos como eles, estamos em construção e essa é a graça do evangelho e vice-versa.

Quando o Galo Canta é triste, mas quem é discípulo precisa entender a tristeza segundo Deus que opera o arrependimento, e por conseqüência um aprimoramento de caráter. Se não fossemos tão hipócritas isso não seria tão assombroso. 
Quando Pedro caiu em si do seu erro, só lhe restou chorar.

Quantas vezes nós já choramos pelos nossos pecados, erros e outras coisas que aborrecem a Deus?  Pense nisto.


quando confessamos os nossos pecados e deixamos temos garantia de perdão
Provérbio 28:13

blog uniaohomens.blogspot.com adaptado por dc Àdamo