Google+ Followers

Igreja Evangélica Congregacional de Vila Mury

quinta-feira, 29 de maio de 2014

amor ao próximo

“Vocês ouviram o que foi dito: ‘Ame o seu próximo e odeie o seu
inimigo’. Mas eu lhes digo: Amem os seus inimigos e orem por
aqueles que os perseguem, para que vocês venham a ser filhos de seu
Pai que está nos céus. Porque ele faz raiar o seu sol sobre maus e
bons e derrama chuva sobre justos e injustos.”
                                                Mateus 5:43-45
Reflexão

A lei mandava amar o próximo (Lev 19:18). Mas alguns intérpretes
da lei concluíram que uma inferência necessária do amor ao próximo
seria o ódio ao inimigo. Vemos como as inferências humanas são
perigosas. Só porque Deus mandou uma coisa não quer dizer que outra
coisa que não seja mandada é proibida. Se Deus mandou amar o
próximo não quer dizer que era proibido amar o inimigo. Mas, era
isso que certos intérpretes concluíram. O amor ao inimigo é um dos
maiores desafios para o Cristão. Há inimigos que causam dor, perda
e até criam obstáculos para o crescimento do Reino. É difícil
entender como amor a eles seria a vontade de Deus. Mas, ninguém fez
mais contra Deus do que aqueles que crucificaram seu filho Jesus. E
qual foi o pedido de Jesus para eles? “Pai, perdoa-lhes, pois não
sabem o que estão fazendo” (Lucas 23:34). Como John Stott observou
"Se a tortura cruel da crucificação não conseguiu silenciar a
oração do Senhor por seus inimigos, que dor, orgulho, preconceito
ou preguiça justificaria o silêncio da nossa?"



hemeneutica

sexta-feira, 9 de maio de 2014

obediência e submissão

Então Jesus veio da Galiléia ao Jordão para ser batizado por João. João, porém, tentou impedi-lo, dizendo: “Eu preciso ser batizado por ti, e tu vens a mim?” Respondeu Jesus: “Deixe assim por enquanto; convém que assim façamos...”                                 Mateus 3:13-15a




Reflexão
No Evangelho de Mateus, Jesus começa seu ministério pedindo para ser batizado e o termina enviando seus discípulos a batizarem. Nos dias de hoje obediência e submissão perderam um pouco do seu atrativo. Há mais interesse em direitos e liberdades. Para Jesus, obediência e submissão eram muito mais importantes. Jesus precisava ser batizado? Claro que não! Ele não tinha e nunca teria pecado para confessar nem do que se arrepender. Então por que o Cristo foi batizado? Um dos motivos é muito simples: os homens não sabiam que Jesus era sem pecado. Se ele recusasse a se submeter a João, que impacto isto teria no ministério do homem enviado para preparar o caminho? Quantos outros não recusariam a se submeter também? Jesus
não admitiu deixar de fazer qualquer coisa que pudesse prejudicar os planos de Deus para nossa salvação. Jesus tinha o direito de recusar o batismo, uma ordenança para pecadores. Mas, ele abriu mão do seu direito para que a justiça de Deus fosse realizada. Será que há situações em que a justiça de Deus pode ser impedida se nós exigimos nossos direitos, ou recusamos a nos submeter quando não somos obrigados? Tem alguma situação em que você poderia voluntariamente se submeter a Deus, confiando como Jesus, na graça
do Pai?