Google+ Followers

Igreja Evangélica Congregacional de Vila Mury

terça-feira, 27 de outubro de 2015

a máscara e a Biblia

A MASCARA E A BIBLIA


                    

Só a Bíblia tira a cegueira espiritual e nos faz conhecer a verdade

Perto de onde minha esposa e eu moramos tem uma fazenda com muitos cavalos. Em certas épocas do ano, alguns cavalos usam máscaras nos olhos e por muito tempo eu sentia pena pelos cavalos que não podiam ver...

Mas, então descobri que a ideia que eu tinha sobre aquelas máscaras era errada. As máscaras são feitas de tela e os cavalos conseguem ver através delas. Porém, as moscas que causam doenças nos olhos, não conseguem atravessá-las. Por isso entendi que as máscaras não impedem os cavalos de ver, elas os impedem de ficar cegos!

Frequentemente, as pessoas não-cristãs tiram conclusões sobre a Bíblia exatamente como eu pensava sobre aquelas máscaras. Elas vêem a Bíblia como algo que Deus coloca sobre nossos olhos para nos impedir de ver toda a diversão e prazeres que poderíamos ter. Elas sentem pena pelos cristãos porque pensam que Deus nos impede de desfrutar a vida. Quanto engano! O que eu não sabia sobre a máscara dos cavalos, elas também não sabem sobre a Bíblia...

A Bíblia não nos impede de ver tudo que é bom, ela nos impede de sermos infectados por mentiras que causam cegueira espiritual. Ela não nos impede de desfrutar a vida e sim nos mostra que podemos apreciar o verdadeiro prazer! Ela não nos impede de conhecer a verdade, ela nos impede de acreditar em mentiras.

"Senhor, desvia os meus olhos, para que não vejam a vaidade, e vivifica-me no Teu caminho". (Salmos 119:37)
blog dc Vitorino Eliseu

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Arrependei-vos

“Então dirão às montanhas: ‘Caiam sobre nós!’ e às colinas:
‘Cubram-nos!’”
                                                                                          Lucas 23:30






Enquanto algumas poucas pessoas lamentaram o que Jesus estava
passando, Jesus lamentou o que a cidade inteira de Jerusalém estava
prestes a sofrer em poucos anos. A mesma força do mal que levou
Jesus à cruz estava prestes a cair sobre um povo que havia
rejeitado o Filho de Deus. A mesma verdade vale para nós hoje, mas,
numa escala eterna. Quando chegar o dia do juízo, não haverá lugar
para se esconder, nem como fugir das conseqüências do nosso pecado.
O tempo de se cobrir com a graça de Deus chegou. A hora de se
arrepender é agora.



hermeneutica

segunda-feira, 27 de julho de 2015

qual a sua posição?

“Aquele que não está comigo é contra mim, e aquele que comigo não ajunta, espalha.”                                  Lucas 11:23
Hoje em dia, exclusivismo não é bem visto. Não é "politicamente correto". No entanto, o Cristianismo que Jesus ensinou é um movimento exclusivista. Ou você está dentro ou fora, luta a favor ou contra. E, não é só aqueles que lutam contra Jesus que prejudicam o progresso do Evangelho. É também os que não decidem, que esperam e deliberam enquanto os servos do Senhor travam a batalha. Alguns, ao observarem Jesus realizando obras poderosas, o criticaram. Outros acreditaram e começaram a seguir. Outros ainda aguardaram para ver o que mais Jesus faria. Porém, Jesus não nos chama somente para pensar e refletir. Ele nos chama a decidir e agir. Não há nenhum muro para sentar entre o reino das trevas e o Reino dos Céus. Está na hora de decidir e agir. Na verdade você já está num campo ou no outro. Sua presença e tudo que você faz ou não faz, já está tendo um impacto eterno. Sua vida está levando pessoas para onde?



hermeneutica

segunda-feira, 20 de julho de 2015

olhando pro alto



Se você colocar um falcão em um cercado de um metro quadrado, e inteiramente aberto por cima, o pássaro, apesar de sua habilidade para o vôo, será um prisioneiro. A razão é que um falcão sempre começa seu vôo com uma pequena corrida em terra. Sem espaço para correr, nem mesmo tentará voar e permanecerá um prisioneiro pelo resto da vida, nessa pequena cadeia sem teto.
O morcego, criatura notavelmente ágil no ar, não pode sair de um lugar nivelado. Se for colocado em um piso completamente plano, tudo que ele conseguirá fazer é procurando alguma ligeira elevação de onde possa se lançar.
Um zangão, se cair em um pote aberto, ficará lá até morrer ou ser removido. Ele não vê a saída no alto, por isso, persiste em tentar sair pelos lados, próximo ao fundo. Procurará uma maneira de sair onde não existe nenhuma, até que se destrua completamente, de tanto atirar-se contra o fundo do vidro.
Há pessoas como o falcão, o morcego e o zangão: atiram-se obstinadamente contra os obstáculos, sem perceber que a saída está logo acima. Se você está como um zangão, um morcego ou um falcão, cercado de problemas por todos os lados, olhe para cima!
Deus é a solução de TODOS os problemas.
Creia em Jesus e no poder redentor da Cruz.
O Senhor morreu para que você tenha vida abundante. Nunca duvide disso!
Olhe para o alto e busque a Deus.
Dobre seus joelhos e derrame seu coração aos pés da cruz. Deus nunca deixa de responder àqueles que vão até Ele.
"Clama a mim e responder-te-ei e anunciar-te-ei coisas grandes e ocultas que não sabes."Jeremias 33:3
                                         
                                      Olhai para mim e sereis salvo. Is45:22

segunda-feira, 13 de julho de 2015

buscai em primeiro lugar o reino de Deus



“Um professor de ciências, querendo demonstrar um
conceito aos alunos, pegou um pote de boca larga e o encheu de
pedras grandes. Então perguntou a classe: - Está cheio?
Unanimemente responderam: - Sim. Entretanto, o professor pegou um
balde de pedregulhos e virou dentro do vaso, os quais se alojaram nos
espaços entre as pedras grandes. Novamente perguntou aos alunos: - E
agora, está cheio? Desta vez alguns estavam hesitantes, mas a maioria
respondeu: - Sim. O professor então levantou uma lata de areia e começou e
derramou dentro do vaso, a qual preencheu os espaços entre os
pedregulhos. Pela terceira vez o professor perguntou: - Então, está cheio?
Agora a maioria dos alunos estava receosa, mas novamente muitos
responderam: - Sim. O professor então mandou buscar um jarro de água e
jogou-a dentro do vaso. A água saturou a areia. Neste ponto, o professor se
dirigiu à classe e disse: - A não ser que coloquemos as pedras grandes em
primeiro lugar dentro do pote, nunca mais as conseguiremos colocá-las. Se
invertermos o processo, colocando a água primeiro, não sobrará espaço
para mais nada.”
O mesmo acontece em nossas vidas. As pedras grandes representam o que
há de mais importante: DEUS! Depois vem a família, os amigos, o trabalho
e outras coisas ainda menores. Se preenchermos nosso tempo, nossa
agenda ou nosso coração primeiro com as coisas pequenas, não sobrará
espaço para as que são realmente importantes.

BUSCAI POIS EM PRIMEIRO LUGAR O REINO DE DEUS E A TUA JUSTIÇA  E TODAS AS DEMAIS COISAS VOS SERÃO ACRESCENTADAS. 
MATEUS 6:33

texto sabidinho IEC ÁGUA DA VIDA

segunda-feira, 6 de julho de 2015

arrependimento verdadeiro


Mateus 26:75b  e saindo dali, chorou amargamente.

Sabe aquele momento quando fica patente que você errou, mediu-se mal, quando você se achou mais forte do que era e pisou na bola? É Aquele momento quando levantam o tapete e a sujeira está lá, quando a sua “santidade” é colocada em xeque. Chamo esse momento de “Quando o Galo Canta”.

Foi o que aconteceu com Pedro quando Ele negou a Jesus – Mateus 26:34,69-75 – Não existe nada pior, nada é tão desesperador do que a verdade, ela é como um espelho onde a gente pode se reconhecer vilão em trajes de mocinho. Quando o Galo Canta o chão sai dos seus pés, e você fica de novo flutuando naquele universo de tristeza. Como eu sei disso? Aconteceu comigo muitas vezes. Isso faz parte da caminhada do discípulo aliás, como a gente julga pesado do alto da nossa “santíssima espiritualidade”, os caras da Bíblia! Somos como eles, estamos em construção e essa é a graça do evangelho e vice-versa.

Quando o Galo Canta é triste, mas quem é discípulo precisa entender a tristeza segundo Deus que opera o arrependimento, e por conseqüência um aprimoramento de caráter. Se não fossemos tão hipócritas isso não seria tão assombroso. 
Quando Pedro caiu em si do seu erro, só lhe restou chorar.

Quantas vezes nós já choramos pelos nossos pecados, erros e outras coisas que aborrecem a Deus?  Pense nisto.


quando confessamos os nossos pecados e deixamos temos garantia de perdão
Provérbio 28:13

blog uniaohomens.blogspot.com adaptado por dc Àdamo

segunda-feira, 29 de junho de 2015

a carta



“Desde agora, a coroa da justiça está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, dará naquele dia a todos os que amarem a sua vinda.” (II Timóteo 4:8)



“Senhor, estou muito preocupado com a tua volta. Alguns dos sinais que indicaste estão se cumprindo e já há muitos teólogos e pregadores que falam abertamente sobre a proximidade de tua segunda vinda. Por isso, ò Mestre, apresso-me a escrever para te suplicar: NÃO VENHAS AGORA! Estou metido em muitos negócios que não podem ser interrompidos no pé em que estão; deixa que primeiro eu solucione alguns problemas e depois podes voltar. Mas não voltes num dia chuvoso ou frio, pois em dias assim eu gosto de ficar em casa revendo fotografias, lendo um livro romântico ou ouvindo músicas antigas. Peço-te também que não venhas num dia de muito calor, porque será muito difícil eu sair da minha sala com ar condicionado. Por favor, Mestre, não voltes quando eu estiver gozando minhas férias, para não interromperes esses meus momentos tão raros de alegria; também não voltes num Domingo à tarde, porque eu gosto de ficar vendo televisão. Se não estou sendo importuno, Senhor, rogo-te que não voltes enquanto eu não terminar a decoração do meu apartamento e que também não chegues à noite, porque depois que instalei ar condicionado, durmo um sono tão pesado que não consigo acordar cedo nem aos domingos para levar as crianças na Igreja. Seria ótimo se não viesses na hora em que estou fazendo negócios, pois talvez não fosse gostar de ver que preciso lançar a menos por causa dos impostos, sabe como é que é: nesse mundo quem quiser ser muito honesto não vai pra frente. Por favor, Mestre, avise-me uns dias antes da tua vinda, para que tenha tempo de procurar o tesoureiro da Igreja a fim de por em dia minhas contribuições, e também porque eu gostaria de fazer as pazes com o Siqueira e me desculpar com a Maria Clara pelas coisas que eu disse a ela. Também gostaria de ter tempo de devolver aquele dinheiro que ganhei na transação com o televisor. Se puderes me avisar com uns meses de antecedência, ficarei muito grato, porque poderei por tudo em ordem e terminar a leitura do Evangelho de Lucas, que comecei quando me converti, há seis anos. Sugiro ainda que avises o pastor com antecedência, para que ele anuncie na Igreja, pois sei de muita gente que também precisa se  preparar para a tua volta. Certo de que me atenderás, aproveito o ensejo para hipotecar toda minha lealdade à tua causa. Cordialmente...”

Talvez nenhum de nós tenha coragem de escrever e assinar uma carta deste tipo. Mas infelizmente muito do seu conteúdo permeia nossas mentes e corações. A verdade é que, se possível, gostaríamos de viver aqui neste mundo para sempre e nem queremos pensar na possibilidade de partir e estar com Cristo.
Esta constatação nos remete à dura realidade que enfrentamos em nossos dias: não amamos Jesus como deveríamos! E este é único problema que precisamos resolver... Feito isto, o tema da nossa carta e o clamor do nosso coração será: 
MARANATA, VEM SENHOR JESUS!

Pr Gérson Moura adaptado por Àdamo

sexta-feira, 19 de junho de 2015

o sabão e o evangelho


     
"Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim" (Gálatas 2:20) 

Um fabricante de sabão e um pregador estavam caminhando juntos em uma rua de uma cidade grande. O fabricante de sabão falou de modo natural: "O Evangelho que você prega não tem produzido resultados, não é verdade? Veja só... existe muita maldade e muitas pessoas más neste mundo!" O pregador se manteve calado até que passaram por uma pequena criança que, muito suja, brincava com lama na rua. Aproveitando a oportunidade, o pregador disse: "eu vejo que o sabão não tem ajudado as pessoas no mundo. Existe muita sujeira e muitas pessoas sujas também. Veja só aquele menino!" O fabricante de sabão disse: "Oh, bem, o sabão só funciona quando é aplicado". O pregador comentou: "Exatamente, e assim também acontece com o Evangelho".

O que tem sido o Evangelho de Cristo para nós? Uma Palavra que lemos? Uma Palavra que pregamos? Ou uma Palavra que lemos, pregamos e aplicamos em nossa vida espiritual? 
De que adianta eu falar que Cristo é amor se eu não demonstro amor em minhas atitudes? De que vale eu mostrar ao perdido o Caminho se, constantemente, estou andando por outros lugares? De que me serve falar que o Senhor morreu na cruz para nos dar vida em abundância se eu vivo murmurando por todos os cantos como se a minha vida fosse insignificante?A minha pregação do Evangelho só produzirá resultados se ele estiver aplicado em minha própria vida. 

O mundo só será transformado por minha pregação se eu deixar que o Senhor me transforme primeiro.
Assim como o sabão retira a sujeira de quem o usa, deixemos que o Evangelho de Cristo nos purifique para que a nossa pregação alcance os corações e produza vidas plenas de felicidade neste mundo.

Tg 1-22 E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos.

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Graça de Deus

Um dos criminosos que ali estavam dependurados lançava-lhe
insultos: “Você não é o Cristo? Salve-se a si mesmo e a nós!” Mas o
outro criminoso o repreendeu, dizendo: “Você não teme a Deus, nem
estando sob a mesma sentença? Nós estamos sendo punidos com
justiça, porque estamos recebendo o que os nossos atos merecem. Mas
este homem não cometeu nenhum mal”. Então ele disse: “Jesus,
lembra-te de mim quando entrares no teu Reino”. Jesus lhe
respondeu: “Eu lhe garanto: Hoje você estará comigo no paraíso”.
                                                                                         Lucas 23:39-43


Nestes quatro versículos encontramos a essência do Evangelho. A
descrença e a fé, a dureza de coração e o sincero arrependimento.
Duas escolhas: crer em Jesus Cristo ou rejeitá-lo. Dois homens e
duas reações a Jesus. No final das contas há apenas estas duas. O
pedido do malfeitor revela a suprema graça de Deus. Apesar de não
ter mais nada a oferecer ao Senhor, o pedido dele é aceito baseado
somente na sua absoluta dependência de Jesus. Jesus não desapontou
naquela hora e não irá desapontar ninguém, desde que se voltem para
ele como Senhor e Salvador. Jim McGuiggan levantou uma questão
intrigante – quem foi que Jesus escolheu para levar desta vida para
a glória? Foi seu discípulo mais fiel? Foi um apóstolo ou pregador
famoso? Um príncipe ou profeta? Nenhum destes. Foi um criminoso
confesso, um pecador assumido, um Zé ninguém cujo nome até hoje nem
sabemos. Por quê? Porque ele pediu. E nem pediu para ir. Só pediu
para ser lembrado. Só isso. E ganhou de Jesus o Paraíso. Esta é a
graça. Isso é nosso Senhor. Ele sabe de que precisamos. Ele sabe o
que realmente queremos. Você já fez o seu pedido? O que você está
esperando?


hermeneutica

quarta-feira, 1 de abril de 2015

a máscara e a Biblia

Perto de onde minha esposa e eu moramos tem uma fazenda com muitos cavalos. Em certas épocas do ano, alguns cavalos usam máscaras nos olhos e por muito tempo eu sentia pena pelos cavalos que não podiam ver... 




Mas, então descobri que a ideia que eu tinha sobre aquelas máscaras era errada. As máscaras são feitas de tela e os cavalos conseguem ver através delas. Porém, as moscas que causam doenças nos olhos, não conseguem atravessá-las. Por isso entendi que as máscaras não impedem os cavalos de ver, elas os impedem de ficar cegos!

Frequentemente, as pessoas não-cristãs tiram conclusões sobre a Bíblia exatamente como eu pensava sobre aquelas máscaras. Elas vêem a Bíblia como algo que Deus coloca sobre nossos olhos para nos impedir de ver toda a diversão e prazeres que poderíamos ter. Elas sentem pena pelos cristãos porque pensam que Deus nos impede de desfrutar a vida. Quanto engano! O que eu não sabia sobre a máscara dos cavalos, elas também não sabem sobre a Bíblia...

A Bíblia não nos impede de ver tudo que é bom, ela nos impede de sermos infectados por mentiras que causam cegueira espiritual. Ela não nos impede de desfrutar a vida e sim nos mostra que podemos apreciar o verdadeiro prazer! Ela não nos impede de conhecer a verdade, ela nos impede de acreditar em mentiras.


"Senhor, desvia os meus olhos, para que não vejam a vaidade, e vivifica-me no Teu caminho". (Salmos 119:37)



blog dc Vitorino Elizeu 

quinta-feira, 26 de março de 2015

a redenção vem

“Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas. Na terra, as
nações estarão em angústia e perplexidade com o bramido e a
agitação do mar. Os homens desmaiarão de terror, apreensivos com o
que estará sobrevindo ao mundo; e os poderes celestes serão
abalados. Então se verá o Filho do homem vindo numa nuvem com poder e grande glória. Quando começarem a acontecer estas coisas,
levantem-se e ergam a cabeça, porque estará próxima a redenção de vocês”.                    
                                            Lucas 21:25-28












Estas palavras de Jesus não se referem à destruição de Jerusalém, mas, à segunda vinda do Senhor. O que sobreveio a Jerusalém é apenas uma amostra do que acontecerá com o mundo inteiro no juízo. Embora os sinais serão motivo de terror para alguns, para aqueles que esperam no Senhor serão sinais de júbilo e vitória. Enquanto este dia não chegar, se você sofre pelo nome de Cristo, se tem dias em que é difícil erguer a cabeça, Jesus está anunciando para você que o dia virá em que ele mesmo voltará para levantar seu semblante. Não será por causa dos seus atos ou esforços. Será pelo sacrifício dEle. Mas, ele deu sua vida por você, justamente para que os dias do seu sofrimento tenham um fim glorioso e um sentido eterno. Espere em Jesus. Confie nEle. O dia da redenção vem - e naquele dia você dirá a Jesus, sobre tudo que você passou - "Meu Senhor, valeu!"



hermeneutica

segunda-feira, 16 de março de 2015

3 peneiras

“Não andarás como mexeriqueiro entre o teu povo.”
(Levítico 19:16)

“Logo que foi transferido de setor, um funcionário quis fazer media com seu novo
chefe e o chamou num canto para dizer: - ‘Chefe, o senhor nem imagina o que me contaram a
respeito do Silva. Disseram que ele...’ Nem chegou a terminar a frase e o chefe, que era um homem coerente
e justo, o interrompeu: - ‘Espere um pouco. O que você vai me contar já passou pelo crivo das três peneiras’?
Surpreso, o funcionário perguntou: - ‘Peneiras? Que peneiras, chefe’? O chefe então explicou: - ‘Bem, a primeira
peneira é a da verdade. Você tem certeza de que isso que vai me contar é absolutamente verdadeiro’? O funcionário
respondeu: - ‘Não. Não tenho. O que sei é o que me contaram, mas eu acho que...’ Novamente foi interrompido pelo
chefe: - ‘Então sua história já vazou na primeira peneira. Vamos então à segunda, que é a peneira da bondade. O que
você vai me contar, se estivesse no lugar do Silva, gostaria que outros dissessem a seu respeito’? O funcionário, já sem
graça, disse: - ‘Claro que não! Deus me livre’. O chefe continuou: - ‘Então sua história vazou na segunda peneira
também. Vamos ver a terceira, que é a peneira da necessidade. Você acha mesmo necessário me contar esse fato? Eu
vou poder fazer algo a respeito’? O funcionário abaixou a cabeça e disse: – ‘Não, chefe. Analisando desta forma, não
sobrou nada do que eu iria contar’. O chefe então concluiu: - ‘Pois é, meu jovem, já pensou em como as pessoas
seriam mais felizes se todos usassem essas peneiras antes de sair por aí falando sobre a vida dos outros’?"
Creio que todos nós já tivemos problemas por causa de fofoca e maledicência, não é verdade? Alguém já
comparou fofoca com barata: ambas são imprevisíveis e sorrateiras, procedem da imundície e provocam repulsa. Da
barata podemos nos defender com inseticida, mas para a fofoca ainda não inventaram um antídoto à altura de seus
estragos. Quantas famílias já foram destruídas, quantas amizades desfeitas, quantos corações partidos por causa dessa
praga.
Talvez a única maneira de acabar com a língua fofoqueira seja acabar com o ouvido fofoqueiro. Em Provérbios
está escrito: “não havendo lenha, o fogo se apaga; não havendo mexeriqueiro, cessa a contenda.” Por isso, sempre que
surgir alguém querendo repassar um boato, submeta ao crivo das três peneiras: verdade, bondade e necessidade.
Alguém já disse com muita propriedade: “pessoas comuns falam sobre coisas, pessoas brilhantes falam sobre
ideias e pessoas medíocres falam sobre pessoas”.


Pr Géson Moura Martins

terça-feira, 10 de março de 2015

O QUE JESUS FARIA?

Pondo-se a vigiá-lo, eles mandaram espiões que se fingiam justos
para apanhar Jesus em alguma coisa que ele dissesse, de forma que o
pudessem entregar ao poder e à autoridade do governador. Assim, os
espiões lhe perguntaram: “Mestre, sabemos que falas e ensinas o que
é correto, e que não mostras parcialidade, mas ensinas o caminho de
Deus conforme a verdade. É certo pagar imposto a César ou não?” Ele
percebeu a astúcia deles e lhes disse: “Mostrem-me um denário. De
quem é a imagem e a inscrição que há nele?” “De César”, responderam
eles.Ele lhes disse: “Portanto, dêem a César o que é de César, e a
Deus o que é de Deus”. E não conseguiram apanhá-lo em nenhuma
palavra diante do povo. Admirados com a sua resposta, ficaram em
silêncio.
Lucas 20:20-26
Vemos logo a falsidade nas perguntas dos líderes religiosos dos dias de Jesus. Será que vemos com tanta facilidade os motivos misturados nas nossas perguntas? Já perguntou ao Senhor se deve aceitar algum emprego ou namorar alguém? Já pediu a sabedoria do alto para ver se deve comprar algum bem, aguardar um lançamento melhor ou investir o dinheiro? Será que Jesus, se pudéssemos ouvir a sua voz, não faria outras perguntas? Nós não estamos tentando apanhar Jesus em armadilhas. Mas, pode ser que o inimigo já nos apanhou numa cilada. Às vezes há outras opções para nosso tempo, nosso dinheiro e nossas vidas, opções que não enxergamos, ou que convenientemente deixamos de considerar. Peça a Jesus não só as respostas dEle, mas, também as perguntas que ele faria se estivesse em seu lugar. Considerando o preço que ele pagou por nós, o tempo, o dinheiro, e a vida toda não são mais "nossos", não é? O que será que Jesus faria?

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

NÃO SE INTIMIDE

Quando ele já estava perto da descida do monte das Oliveiras,
toda a multidão dos discípulos começou a louvar a Deus alegremente
e em alta voz, por todos os milagres que tinham visto. Exclamavam:
“Bendito é o rei que vem em nome do Senhor!” “Paz no céu e glória
nas alturas!” Alguns dos fariseus que estavam no meio da multidão
disseram a Jesus: “Mestre, repreende os teus discípulos!” “Eu lhes
digo”, respondeu ele; “se eles se calarem, as pedras clamarão.”
Lucas 19:37-40













É incrível pensar, mas, em vários países hoje ainda é crime proclamar Jesus como Messias. Até nos Estados Unidos a leitura da Bíblia é proibida em escolas públicas. No Brasil e em outros países "Cristãos" vê-se cada vez mais a proclamação do Evangelho ameaçada com limitações na livre expressão. Mas, os verdadeiros discípulos de Jesus jamais se calarão. Eles não serão intimidados. Você sente esta necessidade de falar de Jesus? Ou já se apagou esta chama? Ore a Deus, peça que ele acenda em seu íntimo a paixão que você sentia no passado por Jesus. Não é só emoção, mas também o reconhecimento do quanto Jesus fez por você, que gera um ardor recíproco por ele. Afinal, dá para deixar de falar daquele que lhe resgatou das trevas, salvou sua vida, lhe deu um novo propósito e ainda voltará um dia para lhe levar para uma moradia eterna? Dá para deixar de falar dEle?



hermeneutica

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

perseverar em oração

E o Senhor continuou: “Ouçam o que diz o juiz injusto. Acaso
Deus não fará justiça aos seus escolhidos, que clamam a ele dia e
noite? Continuará fazendo-os esperar? Eu lhes digo: Ele lhes fará
justiça, e depressa. Contudo, quando o Filho do homem vier,
encontrará fé na terra?”
Lucas 18:6-8
Vale a pena insistir em oração? O autor Steve Farrar conta a história de George McCluskey, que, quando casou e começou a criar filhos, decidiu investir uma hora por dia em oração. Ele queria que seus filhos seguissem Jesus. Com o tempo ele orou pela fé de seus netos e bisnetos. Cada dia ele passava uma hora em oração pelas próximas gerações da sua família. As duas filhas dele se converteram e se casaram com homens que entraram no ministério Cristão em tempo integral. As quatro netas de Farrar se casaram com pregadores e seu neto se tornou pastor. Os primeiros dois bisnetos, quando entraram na faculdade, moraram juntos. Um deles entrou no ministério Cristão, o outro não. O segundo se formou em psicologia e começou a escrever livros para orientar pais na criação de seus filhos. Com o tempo ele começou a falar no rádio e seus livros alcançaram cada vez mais Cristãos. O nome daquele bisneto de George McCluskey é James Dobson. Por meio da perseverança diária nas suas orações, George McCluskey teve um impacto nas vidas não só da sua família, mas, de milhares de famílias e de várias gerações. Você tem clamado a Deus dia após dia? Embora você possa não estar vendo as respostas dEle, Deus está ouvindo as suas palavras. O que será que Deus pode fazer com a sua perseverança em oração? Quem está ouvindo é o Deus de Abraão, Isaque e Jacó. O mesmo Deus de George McCluskey, James Dobson e, um dia, de seus netos. Não desista!






hermeneutica

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

oração

Então Jesus contou aos seus discípulos uma parábola, para
mostrar-lhes que eles deviam orar sempre e nunca desanimar. Ele
disse: “Em certa cidade havia um juiz que não temia a Deus nem se
importava com os homens. E havia naquela cidade uma viúva que se
dirigia continuamente a ele, suplicando-lhe: ‘Faze-me justiça
contra o meu adversário’. “Por algum tempo ele se recusou. Mas
finalmente disse a si mesmo: ‘Embora eu não tema a Deus e nem me
importe com os homens, esta viúva está me aborrecendo; vou
fazer-lhe justiça para que ela não venha mais me importunar’ ”.
                                                                         Lucas 18:1-5




Já teve a impressão que Deus não estava ouvindo sua oração? Já
pediu e pediu e rogou, mas, sem resposta? Algumas pessoas ficam com
a sensação de que Deus não está ouvindo. Ou, se Ele estiver
ouvindo, não está disposto a atender o seu pedido. Será que é isso?
Ou, será que Deus sabe que, para alguns de nós, a única maneira de
nos aproximar dEle é por meio de uma longa caminhada em oração na
qual aprendemos a confiar e esperar nEle? Em alguns casos, aquele
pedido, talvez por uma cura, talvez por um emprego ou marido nunca
é recebido como nós pedimos. Mas, conhecendo Deus ao longo de um
processo de oração, chegamos finalmente ao ponto de conhecê-lo tão
bem que podemos aceitar qualquer resposta que ele der, sabendo que
é o melhor. Você já chegou lá?


hermeneutica

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Galardão

Então Pedro lhe respondeu: “Nós deixamos tudo para seguir-te!
Que será de nós?” Jesus lhes disse: “Digo-lhes a verdade: Por
ocasião da regeneração de todas as coisas, quando o Filho do homem
se assentar em seu trono glorioso, vocês que me seguiram também se
assentarão em doze tronos, para julgar as doze tribos de Israel.”
-- Mateus 19:27-28












Jesus concluiu seu chamado para o jovem rico prometendo um
tesouro no céu. A promessa despertou a curiosidade de Pedro. “E meu
sacrifício?” Pedro perguntou. “E meu esforço?” “E minhas perdas?”
Você já quis perguntar algo assim a Deus? Apesar do egoísmo
evidente na pergunta de Pedro, Jesus o assegura de que Deus está
vendo o sacrifício dele. Ele também está vendo o seu. Todo
sacrifício por causa do Reino será recompensado. A palavra
“recompensa” ocorre seis vezes só no Sermão do Monte. É uma das
promessas mais consistentes de Jesus. Mas a promessa precisa ser
compreendida junto com a graça. Alguns tentam merecer a salvação
pelas suas obras. Outros pensam que têm que pagar por cada pecado
que cometeram. Esse sistema de mérito e dívida entra em choque
frontal com a obra redentora de Jesus. Não há esforço humano que
poderia nos fazer merecer a salvação. A recompensa que Deus nos
promete é sempre numa proporção muito além do nosso mérito. O
problema não está em receber algo de Deus em reconhecimento pelo
nosso esforço. O problema está em pensar que nosso esforço merece
alguma recompensa. Na realidade, já recebemos as maiores bênçãos
que Deus pode dar – ser adotados como filhos e entrar em plena
comunhão com Deus Pai, Jesus Cristo e o Espírito Santo. Tudo que
vem daqui pra frente é lucro. Já imaginou o que aquele que, com a
sua palavra, formou o universo quer dizer quando diz “grande é o
vosso galardão”? Como vai ser incrível ver o que Jesus foi preparar
para nós! Um presente como este, você nunca viu igual!



hermeneutica

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Graça de Deus

“Pois o Reino dos céus é como um proprietário que saiu de manhã
cedo para contratar trabalhadores para a sua vinha. Ele combinou
pagar-lhes um denário pelo dia e mandou-os para a sua vinha. “Por
volta das noves hora da manhã, ele saiu e viu outros que estavam
desocupados na praça, e lhes disse: ‘Vão também trabalhar na vinha,
e eu lhes pagarei o que for justo’. E eles foram. “Saindo outra
vez, por volta do meio-dia e das três horas da tarde, fez a mesma
coisa. Saindo por volta das cinco horas da tarde, encontrou ainda
outros que estavam desocupados e lhes perguntou: ‘Por que vocês
estiveram aqui desocupados o dia todo?’ ‘Porque ninguém nos
contratou’, responderam eles.“Ele lhes disse: ‘Vão vocês também
trabalhar na vinha’. “Ao cair da tarde, o dono da vinha disse a seu
administrador: ‘Chame os trabalhadores e pague-lhes o salário,
começando com os últimos contratados e terminando nos primeiros’.
“Vieram os trabalhadores contratados por volta das cinco horas da
tarde, e cada um recebeu um denário. Quando vieram os que tinham
sido contratados primeiro, esperavam receber mais. Mas cada um
deles também recebeu um denário. Quando o receberam, começaram a se
queixar do proprietário da vinha, dizendo-lhe: ‘Estes homens
contratados por último trabalharam apenas uma hora, e o senhor os
igualou a nós, que suportamos o peso do trabalho e o calor do dia’.
“Mas ele respondeu a um deles: ‘Amigo, não estou sendo injusto com
você. Você não concordou em trabalhar por um denário? Receba o que
é seu e vá. Eu quero dar ao que foi contratado por último o mesmo
que lhe dei. Não tenho o direito de fazer o que quero com o meu
dinheiro? Ou você está com inveja porque sou generoso?’ “Assim, os
últimos serão primeiros, e os primeiros serão últimos”.
-- Mateus 20:1-16










Do ponto de vista da lógica humana, a queixa dos primeiros
trabalhadores parece justa. Quanto mais se trabalha, mais se deve
ganhar. Isso pode ser justo quando buscamos receber o que
merecemos. Mas na economia do Reino, ninguém quer o que merece. Se
fôssemos receber o que merecemos estaríamos todos perdidos. O que
nós queremos é a graça. E a graça é sempre dada de acordo com
Aquele que a concede. Independente do tamanho do sacrifício, todos
nós somos igualmente devedores da graça de Deus. O pastor emérito e
a faxineira do prédio da igreja, o missionário que labora por
cinqüenta anos na seara e o aidético que se converte pouco antes de
sucumbir – cada um receberá a mesma medida da graça de Deus. A
atitude de cada um deve ser de gratidão pela imensa bondade de
Deus. Talvez os primeiros trabalhadores ficaram por último porque o
senhor deles já sabia da sua atitude - ressentimento ao invés de
gratidão. Tomara que a mesma coisa não aconteça conosco no porvir.
Não importa o tamanho do seu ministério ou da sua dívida em pecados
perdoados, o que Deus tem reservado para você é muito mais do que
você merece. Dê graças a Jesus pela graça de Deus.



hermeneutica